Ludimilla Oliveira
Mossoroense, é Professora da UFERSA, atua na área interdisciplinar, Doutora em Arquitetura e Urbanismo, pesquisadora, escritora, é sócio- correspondente da União Brasileira de Escritores UBE-RJ, pertence aos quadros da Associação de Escritores de Mossoró – ASCRIM, da Associação Litero-Artística de Mulheres Potiguares – ALAMP, é sócia efetiva, cadeira 148 do Instituto Histórico e Geográfico do RN, é imortal cadeira 37 da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró – ACJUS, é imortal cadeira 23 da Academia Mossoroense de Letras – AMOL.

Tolstoi em crônica, por algumas palavras

Acerca das muitas reclamações e até inquietações das pessoas, especialmente nas redes sociais, tenho feito uma análise. De sorte, que a popularização e a rapidez da informação, faz perder de vista algumas ideias e às vezes, nem sequer são lidas. Estou me referindo à atitude de reclamação sem ação, ideologia com discursos prontos e jargões, que não…
Leia mais...

Em cada dia, uma lição!

Há dias que as incertezas tomam conta de nós. Parece que já está chegando o fim das coisas e já embriagados de impotências, se desfaz em nós a esperança, a perseverança e o olhar para novos horizontes. São instantes nefastos e ébrios de infelicidade, instantes permeados pela loucura e a insensatez que nos conduz ao caminho da falta de…
Leia mais...

O insofismável emblema da caquexia dos problemas

 O ser humano é tão frágil e dependente do Universo que se torna um coadjuvante natural das circunstâncias, advindas da metamorfose indeterminada em diferentes fases da vida. Nesse caso, o mimetismo passa a ser denominado resiliência no diapasão rotineiro das descontinuidades. Destarte, “são todos maus descobridores, os que pensam que não há…
Leia mais...

Uma página da minha vida, uma oportunidade!

Manhã bonita e de muito sol em terras natalenses, era o cenário que tínhamos após o deslocamento de pelo menos quatro horas de carro. Confesso, que estava feliz e ansiosa, afinal galgar um espaço e a inserção permanente na sociedade hodierna nos faz pessoas melhores. Chegando ao local da solenidade prevista, caminhamos um pouco e logo já…
Leia mais...

Você pode mudar de lugar!

Chegava sempre   por volta das dezenove horas, sentava logo ali na frente e podia sentir o vento adentrando pelas janelas altas e bonitas da Escola  Técnica de Comércio União Caixeral. Uma imensurável satisfação em cada aula, ademais uma turma muito querida e engajada sempre era um grande incentivo. Ademais, ali estavam filhos de grandes contadores…
Leia mais...

Os desafios do caminho para a realização

A realização é inerente à vida das pessoas. Cada ser humano possui desejos, vontades, sonhos e objetivos que precisam ser alcançados. O tempo em cada etapa, torna- se um forte aliado. Pois, vence os que estão dispostos a esperar o momento certo para à vitória, aguardando a finalização de cada etapa para o processo que conduz  à realização e dentre…
Leia mais...

Toda mulher precisa de atitude!

Nada de adágios e populismos dilacerados para confundir a personalidade e à  intensidade nebulosa e introspecta de cada mulher. É na vicissitude da pluralidade e no respeito,  que se  precisa para começar a delinear às diferenças. Às vezes, penso que são  as inconsistências assertivas acerca de ser mulher que denotam uma  fragilidade que não…
Leia mais...

O que se vê, se vive!

O tempo cinza em dias frios, nem sempre é um bom cenário para ler um livro. Assim, como existem dias ensolarados sem alegria. As incertezas, definem o momento, mas os rumos a serem seguidos dependem de alento, determinação, coragem e fé. O aspecto nebuloso e ao mesmo tempo deslumbrante de dias invernosos nos fazem refletir sobre muitas coisas,…
Leia mais...

Mães: ninhos cheios ou vazios…

Em tempos de distanciamento social e maior tempo em família, tenho percebido o paradoxo enigmático, do ninho vazio. Estive, observando o mundo virtual os comentários nas redes sociais dos enfrentamentos das famílias com seus filhos, em viver de maneira concomitante com o desejo de está fora de casa, e ao mesmo tempo permanecer com rotinas…
Leia mais...

Fecha à sepultura, foco na vida!

Ignorar a realidade que se vive, ninguém pode e nem deve fazer. Mas, uma coisa nós podemos avaliar: a vida é mesmo efêmera, é cercada por várias muralhas e derrubar cada uma depende de disposição para vencer os desafios. Talvez, poucas vezes se pare para meditar acerca da força propulsora emitida pela coragem de enfrentar, pela acreditação que…
Leia mais...
1 De 2