O SABOR NO NOME

Suco de frutas, refresco não levado à geladeira, era ponche. Mel de engenho era mel de furo e açúcar mascavo, açúcar preto. Nomes e expressões para comidas e bebidas variam com o tempo e o lugar. Alguns nomes prevalecem em qualquer tempo e espaço, porém outros soam estranhos ou são desconhecidos fora de certo momento ou área geográfica. Em…
Leia mais...

NOSSA BATALHA DE ITARARÉ

A Batalha de Itararé está inserida no folclore brasileiro como a famosa batalha que não houve. Embora se diga que no curso da chamada Revolução de 1930, que levou Getúlio Vargas ao poder, houve sim, várias batalhas na região entre São Paulo e Paraná e apenas o confronto final, sobre o qual havia grande expectativa, na referida Itararé, foi evitado…
Leia mais...

MOSSORÓ E SEUS VIZINHOS

Expedito Gurgel, cirurgião em Natal, lamentavelmente falecido muito cedo, era pessoa excelente e bem-humorada. Natural de Caraúbas, ele costumava dizer que nascera na “Grande Mossoró” ou “Região Metropolitana de Mossoró”. Por prudência, considere-se aqui apenas o conceito de vizinhança para a relação de proximidade, influência e dependência mútua,…
Leia mais...

TENENTE CLODOALDO

Clodoaldo de Castro Meira era um policial com espírito de policial. Mas, independentemente disso, tinha o pensar de cidadão. Compreendia o significado de seu trabalho para a vida da cidade e das pessoas; a dimensão social e política do papel da polícia. Tinha a convicção de que tal trabalho não admitia outra atitude que não aquela firme e decidida,…
Leia mais...

O JOGO DO BICHO

Pela dimensão continental, o Brasil tem hábitos culturais restritos a certas regiões, outros que assumem formas e até nomes diferentes conforme a parte do país e alguns que de tão difundidos caracterizam autêntica unidade cultural nacional. Futebol e carnaval estão em todo lugar, mas o jogo do bicho, além dessa capilaridade, traz consigo o que é…
Leia mais...

FRANK E MARIA

Aprender uma língua estrangeira já foi mais complicado por aqui, quando viagens internacionais eram sonho inatingível para a absoluta maioria da população e fazer um curso fora do Brasil, morando uma temporada em outro país, uma raridade tão grande que o fato virava notícia durante anos e a pessoa contemplada uma celebridade. É natural que isso não…
Leia mais...

ESCOLAS PARTICULARES DOMICILIÁRIAS

Falamos antes de escolas públicas municipais funcionando na casa das professoras. Referimo-nos, agora, a escolas particulares em um formato que existiu por décadas, até que normas e diretrizes públicas do sistema nacional de ensino o remetessem a coisa do passado, em benefício da organização desse sistema, das primeiras letras à pós-graduação…
Leia mais...

O CALDO DE CANA DE ARICHÔ

Arichô foi batizado como Antonio. Por ser filho de Seu Alípio ficou conhecido por Antonio de Alípio. Um dia, contou uma história sobre um encontro casual com um estrangeiro, um alemão, mais precisamente. O sujeito olhou para ele e falou um alemão que certamente só o alemão daquela história falava: Arichô, arichim, arichô! Ele olhou o camarada e…
Leia mais...

BIBLIOTECA E MUSEU

Funcionavam no mesmo prédio, no térreo do antigo Clube Ypiranga. Eram simplesmente Biblioteca Pública Municipal e Museu Municipal. As homenagens dos nomes vieram depois, em outros lugares. A Biblioteca no nome de seu frequentador e benemérito Ney Pontes e o museu no nome do ilustre jornalista e pesquisador mossoroense Lauro da Escóssia. A entrada,…
Leia mais...

NÃO ERA O SPUTNIK

Fim de tarde. Entre cinco e meia e seis horas, quando o sol já perto do Japão dourava a ponta das palmas dos carnaubais mais a oeste com os raios de despedida de mais um dia, alguém, do meio da rua gritava: lá vai! De repente a rua se enchia de gente. Alguns demoravam a localizar, para a impaciência dos que tinham enxergado primeiro e diziam:…
Leia mais...
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support