Decisão

STF suspende dívidas de Estados com a União

Suspensão valerá por 6 meses e nessa nova decisão contemplará RN e MT

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu ontem (6/4) por seis meses as dívidas de Mato Grosso e Rio Grande do Norte com a União.

Pela decisão do ministro, os recursos que os estados deixarão de usar no pagamento das dívidas deverão ser destinados a ações de combate ao avanço do novo coronavírus.

Além de Mato Grosso e Rio Grande do Norte, outros 14 estados já obtiveram decisões semelhantes desde o fim de março. São: Bahia, São Paulo, Paraíba, Paraná, Maranhão, Pernambuco, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Acre, Alagoas, Pará, Espírito Santo, Amazonas e Rondônia.

O Rio Grande do Norte informou que os contratos de dívida com a União e bancos públicos têm parcelas de R$ 24 milhões por mês. Mato Grosso tem dívida total de R$ 2,1 bilhões e paga mensalmente R$ 10,9 milhões.

Nos pedidos feitos ao Supremo, os estados argumentaram que as medidas de combate ao coronavírus no âmbito local vão gerar gastos públicos e que os reflexos da pandemia na economia vão diminuir a arrecadação de impostos.

Alexandre de Moraes concordou com os pedidos, mas destacou que os estados precisam comprovar que os recursos não utilizados na dívida serão aplicados em medidas de combate ao novo coronavírus.

Dívidas por estado

Saiba abaixo quanto os estados informaram ao STF ter em dívidas com a União:

Espírito Santo: paga mensalmente R$ 10,9 milhões;

Pernambuco: as dívidas de 2020 somam R$ 1,6 bilhão;

Santa Catarina: ações contra o coronavírus exigem cerca de R$ 3,7 bilhões;

Bahia: dívida de R$ 5,3 bilhões;

Maranhão: dívidas com bancos públicos que somam R$ 7,4 bilhões. Para 2020, a previsão é de R$ 1,1 bilhão;

Paraná: parcelas mensais a pagar somam R$ 53 milhões. O valor total do débito é de R$ 106 bilhões;

São Paulo: paga por mês aproximadamente R$ 1,2 bilhão para abater a dívida;

Paraíba: tem a pagar, de abril a dezembro, R$ 193,2 milhões;

Mato Grosso do Sul: tem parcelas a pagar de R$ 31,3 milhões por mês;

Acre: paga mensalmente R$ 2,6 milhões à União e outros R$ 20,5 milhões a bancos públicos;

Pará informou que a dívida é de R$ 5 milhões mensais e totaliza R$ 67 milhões até o fim do ano;

Alagoas: parcelas mensais da dívida com a União são de R$ 32 milhões (soma de R$ 385 milhões ao ano);

Amazonas: não informou o valor total de sua dívida, mas ponderou que as receitas com impostos devem cair – a perda é estimada em pelo menos R$ 2,83 bilhões a partir de maio;

Rondônia: pediu a suspensão do pagamento de R$ 138 milhões, valor correspondente da dívida do estado até o fim do ano. (Fonte: G1)

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...