Perdas e ganhos da fusão entre o Rosalbismo e o Sandrismo

Os Rosado sempre se dividiram para somar, aponta o anedotário político mossoroense. A família formou duas vertentes políticas fortes, uma liderada por Rosalba (Rosalbismo) e outra pela prima daquela, Sandra (o Sandrismo). Desde que Rosalba venceu Laíre Rosado (marido de Sandra) na disputa pelo comando da prefeitura de Mossoró, em 1988, a divisão foi muito proveitosa para ambos os lados. Com melhor sorte, é verdade, para o Rosalbismo. Além de se tornar senadora e governadora, Rosalba conseguiu o comando da prefeitura em outras 3 oportunidades. Já o Sandrismo amealho sucessivos mandatos de deputado estadual e federal (em algumas oportunidades, e até simultaneamente). A fonte, no entanto, secou. Coincidentemente, as perdas para os Rosado se tornaram ainda mais significativas depois que Sandrismo e Rosalbismo se uniram, notadamente, a partir de 2016, quando optaram pela fusão para derrotar o ex-prefeito Silveira Júnior. Em 2014, porém, veio o grande baque para o Sandrismo, com a não reeleição de Sandra Rosado para a Câmara Federal e o insucesso de Larissa na disputa para deputado estadual. Naquele ano, o Rosalbismo sequer lançou candidato a deputado estadual, mas teve êxito com a candidatura de Beto Rosado a federal. Em 2018, Sandra não quis tentar voltar à Câmara Federal (apesar de ter sido eleita para vereador em 2016). Já o Rosalbismo também não teve muito sucesso. Ofereceu Kadu Ciarlini (filho de Rosalba) como vice na chapa de Carlos Eduardo Alves, em pleito vencido por Fátima Bezerra e Antenor Roberto. Também não conseguiu reeleger Beto Rosado, que se mantém no cargo graças a manobras pouco republicanas e nunca publicadas. Com a derrota de Rosalba na disputa deste ano, a partir de janeiro de 2021, os dois grupos contarão com apenas dois mandatos: o de vereadora de Larissa Rosado e o de deputado federal de Beto Rosado. Se até lá houver um desfecho judicial justo do caso Kerinho, sobrará apenas a cadeira na Câmara Municipal. Juntos, Rosalbismo e Sandrismo nunca tiveram tão pouco. Aparente o não, a divisão dos Rosado sempre lhe trouxe mais vitórias que derrotas.

 

BOM TESTE

Para quem reclama da demora nos atendimentos de saúde oferecidos pelo SUS, sugiro buscar uma consulta com a médica Edna carvalho no serviço de pediatria da Unimed. A referida profissional se refastela no estar do consultório e não tem quem a faça atender uma criança. Chega a ser afrontoso.

DEFESA DE ESTUPRADOR

Enojante a atuação de Rodrigo Constantino para minimizar a barbárie que é o crime de estupro. Constantino escreve sempre na tentativa de proteger os acusados e culpar as vítimas.

FRACASSO TOTAL

Principais expoentes do Bolsonarismo em Mossoró, PSL (ex-partido do presidente) e PRTB (partido do vice-presidente) foram de m fracasso retumbante nas urnas na disputa para vereador. Juntas, as das agremiações obtiveram pouco mais de 2 mil votos.

FRACASSO TOTAL II

Além disso, dos 4 candidatos a vereador que não receberam um voto sequer, 3 são do PSL.

FRACASSO TOTAL III

Para completar o cenário, o vice-presidente estadual do partido, Daniel Sampaio, é apontado como um dos motivos que fizeram a ex-prefeita Cládia Regina (DEM) ter conseguido uma votação pífia. Cláudia, que teve Daniel Sampaio como vice, ficou em quarto lugar na disputa.

SEM OFENSA

Candidato evangélico que se elegeu comprando voto pode evocar o nome de Deus em seus pronunciamentos na Câmara Municipal?

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...