Pesquisas, percepções e intolerâncias

A atual campanha em Mossoró foi uma das que mais tiveram pesquisas divulgadas. Se isso é bom ou ruim, é tema para ser analisado de forma mais minudente. Se elas devem continuar sendo liberadas ou não, é outra questão polêmica e numa eventualidade de uma proposta dessa vir à tona, é necessário se pensar sobre quais os ganhos que tivemos com outras contingências impostas às campanhas, como redução do tempo, proibição de showmícios, restrições às propagandas estáticas, entre outras. Enquanto esse debate não chega, ficamos com o cenário atual que nos mostra algumas utilidades delas: indução de votos, ampliação da percepção de vitória por esse ou aquele candidato, digladiação entre militantes das candidaturas. Na maioria dessas situações, o que se evidencia é a intolerância com o que não agrada a um ou a outro. Quando os números me são favoráveis, o instituto é bom, o divulgador é sério. Se os dados não são aqueles que espero, quem fez não presta, quem divulgou não é sério. A notícia fake é sempre a do outro. A lamentar que nesse clima de Fla-Flu em que se transforma uma campanha, a maioria dos eleitores/militantes envolvidos não atente para o que realmente importa: propostas. No território de melindres em que se tornou as redes sociais – por onde ecoa quase tudo que se vivencia na campanha – parece não haver espaço para o debate. No momento em que as pessoas mais ganharam a chance de fazer valer o que pensa, ninguém pensa a sério o que vai dizer.

QUESTÕES DE CAMPANHA

Embora amanhã ainda sejam permitidas algumas atividades de campanha, essa é nossa última coluna antes da votação do domingo. Praticamente encerrado o processo, algumas coisas ficaram claras e alguns outros questionamentos não foram esclarecidos. Vamos a alguns.

AUXÍLIO EMERGENCIAL

Não convenceram as alegações apresentadas pelo empresário Fernandinho das Padarias (vice de Allyson Bezerra) sobre o fato dele ter figurado entre os beneficiados com o Auxílio Emergencial.

SILÊNCIO INJUSTIFICADO

Sobre esse mesmo assunto, não se justificou o silêncio de Allyson Bezerra.

MARCA REGISTRADA

Também ficou comprovado que só dizer o que é conveniente é a marca registrada de Allyson.

DANIEL SAMPAIO

Bolsonarista – e como tal – protagonista de acusações sem provas contra quase todos, Daniel Sampaio (PSL) pouco ou quase nada acrescentou à campanha da ex-prefeita Cláudia Regina (DEM) e ainda terminou o processo sob acusação de ter aplicado calote.

POUCA IMPORTÂNCIA

Na disputa eleitoral, a apresentação de propostas tem pouca – ou quase nenhuma – importância para uma grande fatia do eleitorado. Principalmente na disputa para vereador.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...