Tecnologia e Inovações

Ufersa busca apoio institucional do MCTI para inaugurar Parque Tecnológico

A reitora da UFERSA, Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira, também planeja realizar acordos de cooperação técnica com Israel, além de contar com o apoio de parlamentares para a conclusão da obra

O clima semiárido possui características peculiares como abundância de sol, escassez de água, altas temperaturas e muitas riquezas científicas a serem exploradas nos biomas da caatinga e do cerrado. Pensando no desenvolvimento da região por meio de pesquisas, tecnologias e inovações uma universidade federal localizada em Mossoró, no interior do Rio Grande do Norte (RN), planeja inaugurar no segundo semestre deste ano o Parque Tecnológico da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). O projeto em fase final de construção possui um prédio com uma área de 3 mil m² faltando orçamento de aproximadamente R$10 milhões para a etapa de acabamentos. A reitora da universidade, professora Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira, veio pessoalmente a Brasília se reunir com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes para pedir ajuda institucional do MCTI.

“Queremos transformar a UFERSA na referência brasileira e até mundial em pesquisas no semiárido, que é uma região que exige estratégia de convivência diferenciada e que precisa de tecnologia e ciência. Estamos trabalhando para inaugurar o Parque Tecnológico no segundo semestre”, revelou a reitora.

A estratégia da professora Ludimilla envolve uma aproximação da universidade com o governo de Israel para um acordo de cooperação técnica, uma espécie de intercâmbio de tecnologias e conhecimentos. A reitora esteve em Israel e ficou impressionada como a região tem características parecidas com o interior do Nordeste brasileiro. “Temos muito a aprender com Israel e também repassar o nosso conhecimento. A nossa universidade tem mais de 50 anos e é muito forte na área agrária. Possuímos uma similaridade incrível não apenas em condições geográficas, mas também nas tecnologias nas áreas agrárias. Por isso queremos pedir o apoio do ministro Marcos Pontes para realizar uma missão internacional com o governo israelense”, afirmou.

Durante a reunião, o ministro Marcos Pontes confirmou que o MCTI ajudará na articulação política para que a universidade consiga a verba necessária para finalizar as instalações do prédio onde funcionará o Parque Tecnológico. “Devido às restrições orçamentárias não poderemos contribuir financeiramente. Mas acredito que o caminho seja por meio de emendas parlamentares para este projeto, que será tão importante para a região e para o país”, sugeriu Pontes, que orientou também que a universidade utilize o Instituto Nacional do Semiárido (INSA) unidade de pesquisa vinculada ao MCTI para ser o ponto focal dos projetos com o ministério.

Com relação à articulação política a universidade já iniciou contato com alguns parlamentares do Rio Grande do Norte em busca de apoio. O deputado general Girão (PSL/RN), que é o presidente da Frente Parlamentar Mista em Prol do Semiárido, destinou recentemente uma emenda no valor de R$1 milhão para ajudar na conclusão do projeto. A deputada Carla Dickson (PROS/RN) também tem contribuído com a UNIFERSA com projetos ligados a área de popularização da ciência.

Também participaram do encontro o secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTI, Paulo Alvim, o assessor da UNIFERSA, Hudson Palhano de Oliveira Galvão, e a chefe de gabinete, Cláudia Alves de Sousa Muniz.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...