ARTIGO

O que está por trás da fobia social?

Em algum momento você já se sentiu insegura(o) ao apresentar um trabalho em público, começar um novo projeto com pessoas desconhecidas, ou comer na frente das pessoas? Apesar de entendermos a ansiedade ou a timidez como algo natural, existem pessoas que evitam ao máximo situações como essas. Se gestos cotidianos como: iniciar uma conversa, interagir com estranhos, ir às festas lhe causam medo ao ponto de querer evitar todo e qualquer tipo de contato social, talvez você esteja sofrendo de Fobia Social. A fobia social ou ansiedade social é um transtorno originado da ansiedade intensa ou medo de ser julgado, avaliado negativamente ou rejeitado em uma situação de exposição ou em um período de avaliação de desempenho. Pessoas com fobia social podem se preocupar em excesso ou agir de forma visivelmente ansiosa em situações sociais (corar, gaguejar ou perder o ar enquanto falam). Dessa forma, muitas vezes evitam situações sociais, sofrendo com extrema angústia.

Algumas dessas pessoas com transtorno de ansiedade social também experimentam fortes sintomas físicos, como ritmo cardíaco acelerado, náusea e sudorese, e podem sofrer ataques completos quando confrontados com uma situação temida. Embora reconheçam que seu medo é excessivo e irracional, as pessoas com fobia social frequentemente se sentem impotentes diante de sua ansiedade. O que parece estar relacionado a causas genéticas como a hereditariedade, por exemplo, a fobia social está mais propensa a ser uma doença com características de ser aprendida pelo ambiente no qual a pessoa está inserida. Pode-se também associar a Fobia Social com a forma como a pessoa foi educada pelos pais ou responsáveis, ou por alguma situação traumática que tenha sofrido na infância, como bullying ou rejeição. O método que tem se mostrado mais eficaz para o tratamento da doença é a Psicoterapia, pois auxilia na diminuição dos sintomas devolvendo ao paciente sua qualidade de vida e bem estar. O reconhecimento de pensamentos negativos e a tentativa de reeditá-los são algumas das ações terapêuticas da Psicoterapia Cognitiva. Ela ainda ajuda o paciente a desenvolver habilidades que o auxiliam a ganhar confiança.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...