Marcos Pereira

Ministro diz que reforma trabalhista favorece confiança de investidores

“Não obstante essa questão da crise política, os investidores estão vendo com muito bons olhos”, disse. Segundo ele, há uma aposta na economia brasileira.

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, disse hoje (14) que a aprovação da reforma trabalhista, sancionada nesta quinta-feira (13), é um passo importante para construção de um ambiente de confiança de investidores nacionais e internacionais. “Não obstante essa questão da crise política, os investidores estão vendo com muito bons olhos”, disse. Segundo ele, há uma aposta na economia brasileira e a nova legislação ajuda a dar mais segurança jurídica. “A maior reclamação, entrave ao desenvolvimento do país, chamas-se burocracia”.

Marcos Pereira se reuniu com o prefeito de São Paulo, João Doria, para discutir a participação do Brasil no Fórum Econômico Mundial, em março de 2018, na cidade de São Paulo, na edição latino-americana do evento. “Nós vamos apresentar conjuntamente – governo municipal, estadual e federal –, em Davos, na Suíça, opções de investimentos para os grandes fundos e os investidores privados no país”, disse Doria. O fórum de Davos, como também é conhecido, ocorre anualmente no mês de janeiro.

O ministro informou que a pasta está elaborando um programa com o Fórum Econômico Mundial sobre a indústria 4.0. “É um tema importantíssimo, que está sendo discutido no mundo inteiro, a indústria da manufatura avançada, como se chama”, explicou. Ele acrescentou que o Brasil faz parte do Conselho do Futuro da Produção e Manufatura Avançada do Fórum de Davos. “Queremos mostrar essa nova face de São Paulo e do Brasil para o mundo e esse evento será importante nesse sentido”, avaliou.

Crise política

Marcos Pereira acredita que as denúncias que pesam sobre o presidente Michel Temer devem resolvidas com celeridade. “É importante que essa crise política seja resolvida o quanto antes, nós estamos confiantes que o Congresso vai resolver, não é bom para o Brasil, que se troque em um mandato dois, três, quatro presidentes”, disse.

Nesta quinta-feira (13), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, anunciou que a votação do parecer contrário ao prosseguimento da denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer ocorrerá no dia 2 de agosto, após o recesso parlamentar. Segundo Maia, a decisão foi tomada após um acordo feito com as lideranças do governo e da oposição.

João Doria também comentou a posição do PSDB em apoiar as reformas do governo federal. “Nossa defesa é proteger aquilo que vem funcionando no plano econômico com a política econômica, que é correta. Nesse sentido, o PSDB tem que estar ao lado do Brasil. Enquanto o governo proteger o Brasil, nós estaremos ao lado daqueles que protegem também”, disse.

Na segunda-feira (10), lideranças do PSDB reuniram-se no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, para discutir os rumos do partido diante da atual conjuntura política. O senador e presidente em exercício do partido, Tasso Jereissati (CE), disse que não existe consenso dentro do partido sobre a permanência no governo. “O que eu estou observando é que o partido [PSDB] por si mesmo está desembarcando [do governo Temer], independente do controle ou da minha vontade”, disse Jereissati.

Agência Brasil

Notícias semelhantes