Interdição de um presidente

 

O advogado cearense Antônio Carlos Fernandes protocolou ação popular na Justiça Federal pedindo a interdição do presidente Bolsonaro. Ele sustenta que Bolsonaro “demonstra a cada dia, de forma notória, não possuir o necessário discernimento e equilíbrio mental para os atos da vida política imposta pelo alto cargo que ocupa”. Os argumentos de Antônio Carlos são mais do que plausíveis, principalmente porque Bolsonaro foi expulso do Exército por insanidade mental e não dá demonstrações de que tenha sido curado. O certo é que há pouca chance de o pedido prosperar. Simples: o presidente tem cometido barbáries quase diárias e nada lhe acontece.

O destempero verbal, a falta de polidez, prepotência, o desejo de morte tudo isso é pouco perto dos crimes que comete. Bolsonaro, notadamente criminoso, como grande parte dos que o cercam, pratica ilícitos para encobrir seus crimes e de quem o protege. Ele impediu a continuidade de uma investigação da Polícia Federal sobre suspeitas que recaem sobre o deputado Hélio Negão, aquele que vive de papagaio nas entrevistas que o presidente concede. Aliás, interferir na Polícia Federal tem sido seu passatempo preferido, na (até agora bem sucedida) intenção de evitar que criminosos e suspeitos, como seu filho Flávio Bolsonaro, e Adriano Nóbrega (acusado de matar a vereadora Mariele Franco), sejam alcançados pelas investigações da corporação. Entre sandices, crimes e maldades, fica a certeza de que esse governo só agrada a quem é muito rico ou muito mal. Ou a quem seja as duas coisas. O pedido feito por Antônio Carlos mostra, ao menos, a má qualidade do presidente que temos, afinal de contas, levantar suspeição sobre a sanidade mental de um chefe da nação, na história recente do país, é um feito inédito e que tenta mostrar para a poipulação que ao se permitir que Bolsonaro siga no poder, corremos riscos ainda maiores. Em todos os sentidos.

SEMANA

Das maldades e/ou insanidades do presidente registradas nessa semana: intervenção na Polícia Federal para impedir investigação contra aliados; criação de grupo sigiloso para impedir investigações pela Agência Brasileira de Inteligência (ABIN); criação de carteira digital de estudantes para enfraquecer o movimento estudantil, desrespeito à lista tríplice na escolha do procurador-geral da República; ataques à memória de vítimas de ditadura. É um idiota declaradamente perverso.

PEDIDO

Em Santo Antônio do Salto da Onça os estudantes protestaram em desfile pelas ruas da cidade. Com faixas e cartazes, crianças e jovens deram o recado: deixem-me estudar, deixem-me trabalhar, deixem eu me aposentar.

ELETRÔNICO

Em Ipanguaçu, uma reunião essa semana entre servidores de uma escola pública discutiu sobre a possibilidade de instalação de ponto eletrônico na mencionada unidade de ensino.

EXCLUÍDOS

O desfile cívico do 7 de setembro, amanhã, vai ser marcado, mais uma vez pelo Grito dos Excluídos, que viverá sua vigésima quinta edição. Em Mossoró, a concentração acontece às 6h30, no Ginásio Poliesportivo Pedro Ciarlini.

ABRINDO

As Lojas Riachuelo abrem hoje. Acho que é a primeira vez – ou pelo menos uma das poucas vezes – em que a empresa funcionará num feriado de 7 de setembro. Reflexos de um governo que maltrata a classe trabalhadora e bajula os ricos.

Notícias semelhantes