Paralisação

Greve dos Correios fecha agências em 114 municípios do RN

Sindicato dos trabalhadores afirma que o movimento segue cada vez mais forte, apesar da derrota no STF

Iniciada no último dia 18 de agosto, a greve dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (EBCT) segue cada vez mais firme.  É o que afirma o diretor do Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios, Telégrafos e Similares do Estado do Rio Grande do Norte (Sintect/RN) em Mossoró, Jaedson Alves.

Segundo ele, a adesão à paralisação aumenta todos os dias em todo o Grande do Norte, mesmo com os trabalhadores sofrendo derrota no Supremo Tribunal Federal (SFT).  A Corte decidiu que o acordo coletivo celebrado entre os funcionários dos Correios e a direção da empresa tem validade por apenas um ano, e não dois, como defendem os trabalhadores. “Essa decisão do STF deu ainda mais combustível ao movimento”, relata Jaedson Alves.

O sindicalista  acrescenta que já há agências fechadas em 114 municípios potiguares por causa da greve. Em Mossoró, a adesão é superior a 90% e no Estado a 80%.

Ele relata que a greve somente terá fim se for questionada judicialmente  ou quando a direção da empresa atender às reivindicações da categoria, que inclui o respeito ao acordo coletivo pelo período de 2 anos e no qual estão garantidos 30% do adicional de risco do salário, anuênio, licença maternidade de 180 dias e o auxílio creche, entre outros.

Os trabalhadores denunciam que que a direção dos Correios suprimiu cerca de 70 das 79 cláusulas conquistadas como fruto de dissídio coletivo que culminou em sentença normatiza.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...