Ameaças do poder não são apenas rompantes

 

O vereador Carlos Bolsonaro (PSL), filho do presidente Jair Bolsonaro disse que por meio da democracia o Brasil não conseguirá as mudanças necessárias. O caçula do presidente, bem ao estilo dele, garante que foi mal-interpretado. Para a grande maioria da população, o vereador tentou, de forma sub-reptícia, ver qual a reação do povo a uma possibilidade de mudança de regime de governo.

Comentários dão conta de que o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, articula, a partir da CPI das Fake News, a queda de Bolsonaro. Essa CPI tem aterrorizado o clã Bolsonaro, pelas razões que são de todos conhecidas. A estratégia é de cassar a chapa em até 2 anos de governo, o que evitaria novas eleições. Os artífices desse plano descartam a ideia de impeachment, afinal de contas o país passou há pouco por um processo desses e os danos foram os maiores possíveis.

Cientes de tudo o que pode acontecer e, sobretudo sabedores que a CPI das Fake News pode destroná-los e destroçá-los, aos Bolsonaro cabe fazer ameaças. Para eles, a democracia só tem utilidade se servir aos seus (maus) propósitos. Ao sentirem-se ameaçados, logo tratarão de mostrar do que ainda são capazes de fazer pelo poder.

De um governo que não respeita as instituições, que não valoriza as pessoas, que destrói reputações e fulmina a diplomacia, tudo de ruim pode se esperar. Ameaças de quem está no poder não são meros rompantes. E vindo de quem vem, nada surpreenderá.

COINCIDÊNCIA

Bolsonaro adoeceu, o ministro Marcos Pontes adoeceu, Rosalba adoeceu. Em comum: todos tinham compromissos importantes e para os quais não se sentiam confortáveis em participar.

ARTILHARIA

O youtuber Felipe Neto vem sentindo na pele o poder da milícia cibernética comandada pelos Bolsonaro. Tem sido vítima de todo tipo de campanha sórdida, pelo simples fato de denunciar as atrocidades do governo federal e da família do presidente. Neto, no entanto, não está disposto a deixar barato.

ALVO

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, que se cuide. Também há campanha difamatória em curso contra ele.

CRIME

Os moradores dos Abolições estão sofrendo quase diariamente com arrastões em residências, prática criminosa que tem se tornado rotina em Mossoró. Somente essa semana já foram pelo menos duas ocorrências dessa natureza.