Tolstoi em crônica, por algumas palavras

Acerca das muitas reclamações e até inquietações das pessoas, especialmente nas redes sociais, tenho feito uma análise. De sorte, que a popularização e a rapidez da informação, faz perder de vista algumas ideias e às vezes, nem sequer são lidas. Estou me referindo à atitude de reclamação sem ação, ideologia com discursos prontos e jargões, que não levam a lugar nenhum.  Ao me deparar, com essas situações percebi que sem proposição altiva, atuação do que se diz e altruísmo nada vai mudar.

Logo, lembrei de Leon Tolstoi, filósofo russo consagrado, com obras reconhecidas mundialmente, oriundo de família burguesa, conheceu o melhor e viveu no melhor. Todavia, ao discordar das manobras do Estado e sobretudo da ostentação, por vezes, desnecessárias para ser feliz, o mesmo foi morar no campo. De forma simples, conduziu sua vida, sendo coerente com seus pensamentos, e não deixou de imortalizar seus ideais, escritos que até hoje presenteiam a humanidade. A inspiração certa, no lugar certo, deu a Tolstoi densas obras literárias. Pois, “O segredo da felicidade não é fazer sempre o que se quer, mas querer sempre o que se faz,” conforme Tolstoi.

“Todo mundo pensa em mudar o mundo, mas ninguém pensa em mudar a si mesmo” de acordo com Leon Tolstoi. Talvez, a falta de visão e percepção para a essência, deste célebre pensamento, venha motivando mais e mais as pessoas a transferirem seus problemas para os outros, ou mesmo, a utilizando a culpabilização como o melhor caminho para uma solução mais fácil. Tolstoi, foi inspiração para Gandhi e Martin Luther King.

Segundo Tolstoi ,”os homens distinguem-se entre si também neste caso: alguns primeiro pensam, depois falam e, em seguida, agem; outros, ao contrário, primeiro falam, depois agem e, por fim, pensam “.Tal assertiva, deixa ainda mais claro a imaturidade e a causa de inúmeras situações desagradáveis, isto é, falar sem pensar, agir sem pensar e o pior está por vir, o resultado das ações não refletidas tendo como reflexo a intolerância e até a falta de paz numa sociedade gregária. Lamentável quando os canais de comunicação incitam o discurso do ódio, ávidos pela guerra virtual no mundo líquido.

“A sabedoria com as coisas da vida não consiste, ao que me parece em saber o que é preciso fazer, mas em saber o que é preciso fazer antes e o que fazer depois” , e aqui Tolstoi, supera as expectativas, quando deixa intrinsecamente relacionado o cotidiano, a lei da semeadura e a consequência de cada passo dado, de cada palavra dita e a partir daí, teremos as consequências para o  antes e o depois da vida de cada ser humano. Daí considero fundamental a responsabilidade e o respeito, considerando sempre a integridade, a umbridade, a essência e a tolerância no campo das diferenças.

Por isso ,” aquilo que foi e que será, e até mesmo aquilo que é, não somos capazes de saber, mas quanto àquilo que devemos fazer, não apenas somos capazes de saber, como também o sabemos sempre, e somente isso nos é necessário”, citando o nobre escritor Tolstoi. No arremate para fazer uma síntese, sobre o que se pensa, fala, e o que se faz o melhor é sempre partir do respeito e da consciência que não existem pessoas iguais. Mas, diferentes e plurais.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...