Sistema prisional

Seap define lotação de 25 novos policiais penais

O Sistema Penitenciário abriga atualmente 10.400 pessoas privadas de liberdade

Os 25 novos policiais penais nomeados pelo Governo do Estado foram lotados nas quatro maiores unidades prisionais do Rio Grande do Norte. Em evento realizado na manhã desta segunda-feira (9), no Centro Administrativo, ocorreu a escolha de vagas pelo critério da ordem de classificação no concurso público, atendendo ao princípio da transparência da administração e do  certame.

Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária (Seap), 13 policiais penais vão trabalhar na Cadeia Pública Dionorá Simas, em Ceará-Mirim, cinco na Penitenciária Estadual de Alcaçuz; quatro na Penitenciária Rogério Coutinho Madruga, em Nísia Floresta, e trêsna Penitenciária Estadual de Parnamirim.

“Vocês terão a oportunidade de trabalhar nas unidades mais importantes do Estado, nas de maior lotação e também as de maior periculosidade. O nosso sistema prisional hoje tem os melhores índices de segurança do Brasil. A cada ano temos melhorado. Em menos de dois anos, nós tiramos um atraso de décadas em aparelhamento e modernização do Sistema Prisional”, destacou o secretário Pedro Florêncio em texto enviado aos novos servidores. O secretário esteve ausente por motivo de saúde.

O secretário adjunto em exercício, major Natanael Avelino, deu as boas-vindas aos novos policiais penais. “Vocês estão aqui para servir. Esse é o papel de quem trabalha no serviço público”.

A coordenadora do Sistema Penitenciário, policial penal Roberiana Bezerra, destacou as melhorias na infraestrutura da pasta e os desafios da carreira. “Ser policial penal não é fácil. É uma profissão que exige muito de todos nós e, a vocês que estão chegando, queremos ver a máxima vontade em honrar a Polícia Penal. Tenho muito orgulho desse momento”, disse. A policial penal Ivanilma Carla, representando o secretário Pedro Florêncio, destacou as qualidades fundamentais para o servidor público e fez um relato sobre o momento de modernização da Seap.

Para Pedro Florêncio, “os policiais penais são uma parcela de servidores que contribui diretamente para a diminuição dos índices de criminalidade e pela diminuição dos índices de reincidência criminal. O trabalho da Polícia Penal impacta diretamente no bem-estar de toda a sociedade”.

Pedro Florêncio destacou: “conto com o profissionalismo de cada um de vocês. Não negligenciem jamais os procedimentos, respeitem os colegas servidores, os familiares dos presos, os advogados, os fornecedores e os próprios presos, pois apenas com respeito e dignidade para com todos é que estaremos mantendo a segurança, a ordem e a disciplina dentro do Sistema Prisional do Rio Grande do Norte”.

O Sistema Penitenciário abriga atualmente 10.400 pessoas privadas de liberdade, distribuídas em 17 unidades prisionais.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...