Assembleia

Professores irão a Justiça para receber diferença de salário

Também foi deliberado que os professores irão aderir à Greve Nacional que acontecerá no próximo dia 18 em todo o país

Em assembleia realizada nesta quarta-feira (04), os professores municipais deliberaram que irão acionar a Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM) na Justiça para reaver as perdas salariais causadas pela destruição da tabela salarial por parte da gestão Rosalba Ciarlini no ano passado, além de exigir que a prefeita receba o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (Sindiserpum) para discutir os demais pontos da pauta de reivindicação da Educação.

Apesar do envio para a Câmara Municipal de Mossoró (CMM) do reajuste dos professores conforme a determinação do MEC (12,84%), a prefeita Rosalba Ciarlini destruiu a tabela salarial dos professores no ano passado, quando aplicou um percentual de 3,75%. Abaixo do Piso Nacional em 0,42% e em desacordo com o determinado pelo MEC, que foi 4,17%.

Um panfleto informativo será elaborado e distribuído para que a sociedade tome conhecimento da verdade dos fatos com relação ao reajuste “dado” por Rosalba, não por sua boa vontade, mas por medo da pressão e fruto ainda do movimento grevista ocorrido no ano passado.

Também foi deliberado que os professores irão aderir à Greve Nacional que acontecerá no próximo dia 18 em todo o país contra o desmonte no serviço público e ampliar as denúncias nas redes sociais quanto à falta de condições do ensino-aprendizagem, as más condições de trabalho e falta de estrutura nas escolas. As ações visam pressionar a Prefeitura a reconhecer seu erro e valorizar, de fato, a categoria.

“A prefeita Rosalba destruiu a tabela salarial dos professores e criou uma tabela abaixo do Piso Nacional, desrespeitando a carreira docente. Cometeu um erro em 2019 e não teve humildade de reconhecer e corrigir. Agora, os professores vão ter que buscar na justiça a correção. Isso é valorizar professor? Isso é enganar o povo!” Comentou a presidente do Sindiserpum, professora Marleide Cunha.

Uma nova assembleia foi marcada para o dia 1º de abril, quando, até lá, os professores esperam que a gestão possa ter se recebido o sindicato.

*Assessoria Sindiserpum.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...