Insatisfação

Professores do Estado ameaçam fazer greve

Categoria está descontente com proposta feita pelo Estado para pagamento Piso; decisão sai próxima semana

Os professores da rede estadual de ensino poderão paralisar suas atividades nos próximos dias. O motivo é a completa insatisfação com a proposta feita pelo Governo do Estado para pagar a correção do Piso Salarial Profissional Nacional do Magistério.

A gestão da professora Fátima Bezerra (PT) está propondo pagar o percentual de 12,84% em três parcelas. A primeira parcela, de 4,28% seria paga no salário de maio próximo. Uma segunda parcela seria paga na folha de janeiro de 2021 e a terceira e última, em abril de 2021. Na prática, Fátima levaria um ano e três meses para conceder o reajuste na íntegra. Importante ressaltar que o percentual já está em vigor desde o mês de janeiro.

Embora o governo tenha afirmado às entidades representativas dos trabalhadores que a correção beneficiará tanto ativos quanto inativos, não haverá pagamento dos retroativos. O clima de desapontamento e decepção entre os profissionais da rede estadual de ensino é grande.

Os trabalhadores em educação da rede estadual de ensino disseram não à proposta do Governo para pagar o Piso Salarial de 2020. A deliberação ocorreu em assembleia na tarde desta quarta-feira (19), no Winston Churchill, em Natal.

A decisão sobre a paralisação das atividades acontecerá em 28 de fevereiro. O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande do Norte (SINTE/RN) já convocou assembleia, com indicativo de greve. Se até lá o governo não melhorar a proposta, a paralisação será iniciada em 4 de março.

Notícias semelhantes