Mossoró

Prefeitura entrega Unidade de Acolhimento Infanto Juvenil

A unidade tem capacidade de acolhimento de até 10 crianças e adolescentes

Na manhã desta quarta-feira (30) de dezembro, a Prefeitura de Mossoró através da Secretaria Municipal de Saúde, entregou a Unidade de Acolhimento Infanto Juvenil no município de Mossoró, destinada a cuidados contínuos para crianças e adolescentes com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, em situação de vulnerabilidade social e familiar e que demandem acompanhamento terapêutico e protetivo.

A Prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini, participou da entrega do acompanhamento acompanhada pela Secretária de Saúde, Saudade Azevedo, e da coordenadora da Saúde Mental, Kaliana Fernandes.

“Entregamos a Mossoró essa casa que irá funcionar 24h, um trabalho realizado por uma equipe multidisciplinar para dá todo apoio a esse público, que precisam de um cuidado especial. Era algo que nós desejávamos para complementar o trabalho que já é realizado pelo CAPS AD, dos Conselhos Tutelares e Conselho Municipal da Infância e da Adolescência”, afirma.

A coordenadora da saúde mental, Kaliana Fernandes, explica que a Unidade de Acolhimento Infanto Juvenil tem como objetivo acolher as crianças e adolescentes, meninos e meninas, de 10 a 18 anos incompletos, para dá suporte domiciliar, trabalhando diretamente com o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), com os equipamentos de assistência social, porque são crianças que estarão em idade escolar, que estarão com problemas de álcool e outros tipos de drogas, que precisaram ter todo um suporte para que eles possam se desenvolver para que eles possam ser reinseridos na sociedade.

“Será uma porta regulada, o CAPS vai fazer essa articulação, avaliar se é perfil para ser atendido por aqui, construir um projeto terapêutico singular para essa criança ou adolescente, que vai ficar aqui. Na unidade vai ter psicólogo, assistente social, pedagogo, vários profissionais de nível médio, para que esse adolescente sinta que tem uma referência de casa, para que possa ter suas potencialidades desenvolvidas, e para que ele possa ter um suporte emocional, clínico, social e assim sucessivamente”, destaca.

A unidade tem capacidade de acolhimento de até 10 crianças e adolescentes, que poderão ficar até seis meses, dependendo de sua necessidade. Após esse período, a criança e o adolescente deverá ser reinserido no seu grupo familiar, que durante o período que estiver na unidade, a família também será trabalhada, para que tenha condições de voltar para o convívio familiar.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...