Crescimento

Mercado de marmitas e quentinhas cresce 121% em 3 anos no RN

O número de empresas no ramo de produção de alimentos para consumo domiciliar subiu de 1.349 para 2.984 no estado. Crescimento faz parte de uma tendência no Brasil.

O Rio Grande do Norte teve um aumento de 121,2% no mercado de marmitas e quentinhas nos últimos três anos. Os dados são do Sebrae-RN e foram divulgados nesta quarta-feira (4) com base nos relatórios do Ministério da Economia.

O número de empresas nesse ramo subiu de 1.349 para 2.984 neste período. Até o final de fevereiro deste ano, o Sebrae aponta que esse número já cresceu para 3.151 empresas. Desse total, 94% são Microempreendedores Individuais (MEI).

Esse crescimento no estado faz parte de uma tendência no Brasil. Entre 2014 e 2019, os empreendimentos de produção de alimentos para consumo domiciliar no país passaram de 102,1 mil para 239,8 mil – um crescimento de 134%. Desse total nacional, 94% (225,6 mil) são MEI.

Apenas entre novembro do ano passado e janeiro de 2020, o Portal do Empreendedor, do Ministério do Trabalho, já registrou quase 3 mil novos MEI especializados no ramo.

Segundo o Sebrae, a oferta de alimentos saudáveis com elementos do vegetarianismo é um ramo em alta, assim como a gourmetização. O órgão aponta que uma tendência do mercado é o aumento da sustentabilidade do negócio, com o banimento do plástico, oferta de embalagens sustentáveis e eliminação de qualquer desperdício.

Além disso, o Sebrae indica que o uso da tecnologia também representa uma tendência que deve usada como aliada, como os aplicativos de entrega ou terminais de autoatendimento.

Para o Sebrae, esse aumento indica que a atividade é uma alternativa muito buscada por conta do desemprego, mas também faz parte de um movimento do mercado que busca desenvolver novos negócio para responder a demanda de um consumidor mais exigente e seletivo, que não está necessariamente disposto a pagar muito mais por produtos de qualidade.

G1 RN

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...