Consulta

Ludimila propõe gestão descentralizada na Ufersa

Única mulher na disputa, professora também defende o dialogo e o respeito às decisões dos órgãos colegiados

A professora Ludimila Oliveira é a única candidata do sexo feminino na disputa pela Reitoria da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa), cuja consulta acontece, de forma on line, na próxima segunda-feira, 15/6. Além de tentar quebrar um tabu (ser a primeira mulher a comandar a instituição), Ludimila enfrenta um cenário desafiador: dos 17 principais postos de comando da Ufersa, apenas 2 são ocupados por mulheres.

“A nossa gestão, de forma firme, defenderá esses valores e princípios para a existência de universidades autônomas, fortes, criativas, inovadoras e de mãos dadas com a transformação social”, destaca Ludimila Oliveira. Ela tem como candidato a vice-reitor o professor Roberto Pordeus.

Entre as propostas da chapa se destacam: gestão descentralizada das rubricas para os campis da universidade, com o acompanhamento quase em tempo real da gestão orçamentária; transparência dos atos administrativos do cotidiano por meio da criação de plataforma para acompanhar o cotidiano da Reitora e do Vice-reitor; instituição de uma câmara de conciliação de conflitos e criação da Reitoria itinerante (uma vez por mês em cada campi com equipe instalada).
Ludimila e Pordeus defendem o respeito às decisões democráticas dos órgãos colegiados da universidade. “A democracia, assim como seus valores que são verdadeiros pilares no processo da gestão pública universitária, é condição absolutamente fundamental para a transformação da sociedade como um todo, e para a existência da universidade”, afirma a candidata.

Ainda nesse aspecto, a chapa propõe a sistematização das normativas infraconstitucionais da Ufersa.
A chapa apresenta ainda as seguintes propostas: valorização humana dos servidores técnicos-administrativos por meio do redimensionamento de pessoas e da qualificação profissional; gestão alinhada com a presença dos órgãos de controle TCU e CGU, inclusive nas capacitações dos servidores técnicos e docentes; trabalhar a gestão da universidade com dois níveis de impacto: impacto interno com o fortalecimento dos cursos de graduação e pós-graduação, e desenvolvimento regional com reflexo nacional e internacional; convênios institucionalizados no campo internacional via Itamaraty e Ministério das Relações Exteriores.

Por fim, defende o diálogo aberto e democrático com os sindicatos dos servidores técnicos, docentes e estudantes ( SINTEST, ATENS, ASSUFERSA , ADUFERSA e DCE) valorização dos campi através da reformulação dos processos de comunicação e interação; trabalho integrado com ações que visem a aproximação como setor produtivo; apoiar e fortalecer ações na área da Fazenda Experimental da UFERSA, revitalizar a área de agrárias, valorizando espaços, e experiências de convivência com o semiárido; criar um plano anual de ocupação de códigos de vagas para docentes e técnicos administrativos; construir o Hospital Universitário e a estrutura necessária para a área da saúde; equipar os laboratórios da Ufersa multicampi, visando a valorização e o fortalecimento dos cursos de graduação; trabalhar a assistência estudantil de forma transparente, incluindo esporte , lazer , cultura e saúde para os nossos estudantes, e tntegrar a Universidade para viver ensino, pesquisa e extensão de maneira indissociável.

Mais informações e propostas em: professoraludimilla.wixsite.com/acreditenamudanca; Facebook: https://pt-br.facebook.com/professoraludimilla e Instagram: @ludimillareitora e Twitter: @LudimillaOli.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...