Entrevista

Conversa da Semana com Rosalba Ciarlini

O Portal do RN inicia hoje série de entrevistas com os candidatos e candidatas a prefeito Mossoró. Nesta Conversa da Semana especial, os entrevistados falarão apenas sobre as propostas para a cidade. Elencamos 10 temas para que cada um mostre o que pretende fazer para essas áreas. Conforme informamos aos candidatos, a publicação obedeceria à ordem de entrega das propostas. Neste sábado, (31/10), é a vez da candidata Rosalba Ciarlini (PP). Amanhã, (1/11) será a vez de Cláudia Regina (DEM). Irmã Ceição (PTB) será publicada na segunda-feira (2/11). Na quinta, sexta e sábado da próxima semana teremos as entrevistas dos demais candidatos. Veja abaixo, as propostas de Rosalba Ciarlini.

Por Márcio Alexandre

PORTAL DO RN – Quais as principais propostas da senhora para a saúde?

ROSALBA CIARLINI – A saúde é prioridade e uma área de muitos desafios. Vamos construir a UPA da cidade, será a quarta. Ela vai desafogar os atendimentos nas demais unidades e facilitar o acesso da população ao serviço. Também queremos aumentar número de equipes de ESF, inclusive com concurso público para atender a população. Para se ter uma ideia, quando chegamos à Prefeitura em 2017 só existiam 30 mil pessoas cadastradas no SUS, o que inviabilizava a vinda de recursos do Ministério da Saúde. Esse número saltou de 30 mil para 210 mil. A nossa perspectiva é ampliar o número de equipes de saúde da família para mais 20, porque esse cálculo é feito a partir da expectativa populacional, com uma média de até 4 mil pessoas por equipe. Tudo isso acompanhado dos investimentos em saúde para controle da pandemia de COVID-19 com Centros de testagem, medicação, leitos pelo tempo que for necessário. Outra proposta é abrir o PAM Odontológico na Praça Bento Praxedes, com funcionamento 24 horas.  O PAM vai se tornar uma policlínica, especializado em exames de imagem. Já iniciamos a avaliação do atendimento por tablets, nas unidades básicas de saúde, onde as respostas serão encaminhadas diretamente ao meu gabinete. A força-tarefa que empreendemos na pandemia, vamos intensificar na saúde. Já regularizamos o fornecimento de insulinas especiais, também recadastrando os usuários. Regularizamos as cirurgias eletivas e a distribuição dos medicamentos. É um trabalho constante de aprimoramento da saúde, sempre pensando na população e na melhor assistência.

PRN – O que a senhora propõe para a educação?

RC – Em Mossoró estão metade das melhores escolas públicas do estado. Isso foi mostrado no resultado do último IDEB, onde não só alcançamos a melhor nota da história do município como 8 das nossas escola passaram a integra a lista de melhores colocadas. Isso é fruto de muito trabalho, que ampliaremos, sem dúvida. Além das creches que estão em obras, queremos construir mais quatro totalizando 1.200 vagas em tempo integral. Durante a pandemia, adaptamos a rotina de aula para o modo remoto, com 75% dos nossos alunos sendo atendidos, mantivemos a entrega da merenda. E estamos certos que tudo voltará à normalidade, por isso já garantimos também o fardamento para o próximo ano. No pós-pandemia queremos oferecer aulas de reforço para os nossos alunos no contraturno para não deixá-los com déficit no aprendizado. Vamos dar continuidade também a formação continuada dos professores, aperfeiçoando a capacitação.

PRN – Como a senhora pretende estimular a geração de emprego e renda?

RC – Com relação à geração de emprego e renda queremos continuar apoiando as empresas mossoroenses e atrair outras de fora. Um trabalho que já vem sendo feito, a exemplo da indústria de pescados Frescomares; o Centro Mundial de Operações de Energia Eólica, da Voltalia, a loja Havan, com local que vai gerar 200 empregos diretos; a reabertura da Aficel iniciada. Também queremos explorar ainda mais o fato de Mossoró ser uma cidade polo, atrair o visitante para o nosso comércio, para eventos na cidade seja na área de educação, saúde ou cultura. E o nosso compromisso de manter as finanças do município saudáveis com os salários em dia e pagamento de fornecedores, pois sabemos o quanto isso impacta no nosso comércio local e consequentemente na geração de emprego e renda. Além disso, no pós-pandemia, quero usar minha experiência para criar um programa de incentivo aos pequenos comerciantes, vejo nas ruas o potencial do mossoroense para o empreendedorismo são vários tipos de negócios que podemos auxiliar.

Outra proposta é a instalação de internet nos pontos de ônibus, cujas estruturas estão sendo reformadas ou instaladas, tudo para facilitar o deslocamento.

PRN – O que fazer para melhorar a mobilidade urbana em Mossoró?

RC – A mobilidade urbana é ampla e envolve ações diferente para cada situação. Temos melhorado as condições das ruas com a pavimentação de novas vias e recuperação de asfalto, inclusive com padronização de calçadas. Esse é um serviço que será ampliado. Também queremos fazer análises de fluxo de vias de acesso rápido para adaptação ao sistema de binários, ou seja, mão única; ampliação do Via Livre, com novos trechos contemplados aumentando a fluidez do trânsito. Com relação ao transporte coletivo trabalhamos com a perspectiva de aumentar a oferta de novas linhas em parceria com a concessionárias com o uso do Aplicativo Ônibus Inteligente (Cittamobi), que informa sobre o horário exato de passagem do transporte. Outra proposta é a instalação de internet nos pontos de ônibus, cujas estruturas estão sendo reformadas ou instaladas, tudo para facilitar o deslocamento.

PRN – O que a senhora defende para a preservação do meio ambiente?

RC – Qualquer trabalho de preservação ambiental tem que ser precedido de educação. E vamos trabalhar fortemente para educar nosso povo com o fortalecimento dos Núcleos de Educação Ambiental que promovem ações de conscientização para os estudantes nas escolas municipais, o que reflete no comportamento das famílias, quem é pai e mãe sabe que o filho cobra, ensina, além de que precisamos começar de cedo esses ensinamentos; vamos também ampliar a Sala Verde, no Parque Municipal como fonte de informação em diversos formatos para que as pessoas conheçam nossos patrimônios naturais e sejam vigilantes. E queremos ainda elaborar um plano de despoluição do Rio Mossoró, um plano exequível, com participação de especialistas. Esse projeto de despoluição vamos ter que buscar recursos federais pelo fato de o rio não passar apenas por Mossoró, como vocês sabem. Inclusive, o saneamento no qual investimos fortemente é um passo crucial para que isso aconteça, pois conseguimos diminuir o depósito de dejetos no leito do rio.

PRN – Quais as suas propostas para o desenvolvimento social?

RC – Na nossa gestão ampliamos a assistência à população mais carente, com reabertura de serviços nos Centro de Referência em Assistência Social. Descentralizamos o atendimento no Cadastro Único, porta de entrada para os principais programas sociais. Capacitamos através do programa Geração de Oportunidades, alcançando mais de 8 mil pessoas com cursos em diversas áreas. A nossa proposta é ampliar esse trabalho, chegando a 16 mil pessoas nos próximos quatro anos. Falando em novos equipamentos, entregamos o Centro de Convivência do Idoso, CCI, do Conjunto Wilson Rosado e o CRAS Jardim das Palmeiras. Já estamos com licitação lançada para o CRAS Abolição IV que vai beneficiar mais uma região da cidade.

Por falar em produção também vamos desenvolver um Programa de Perfuração de Poços, numa parceria entre a prefeitura e as comunidades.

PRN – O que fazer para fortalecer a agricultura e para evitar que o êxodo rural se intensifique ainda mais?

RC – O homem do campo vai continuar tendo o nosso apoio e de maneira mais ampla. Vamos criar o Fundo Municipal de Apoio Agricultura Familiar. Queremos assim facilitar o acesso ao crédito, especialmente para situações que não são contempladas por linhas de crédito maiores. Esperamos que com mais esse apoio o agricultor possa expandir sua produção e aumentar a renda na zona rural. Por falar em produção também vamos desenvolver um Programa de Perfuração de Poços, numa parceria entre a prefeitura e as comunidades, isso é algo já feito no passado, portanto possível, que facilitaria muito a vida de quem quer produzir, variar a oferta de produtos. Além disso vamos recuperar as estradas vicinais, compreendendo uma extensão superior a 300 km, inclusive, já iniciamos pela estrada da Alagoinha e localidades próximas. O objetivo é facilitar o escoamento da produção e o deslocamento da população, com recurso já garantidos pelo FINISA.

PRN – Como o seu governo pretende trabalhar a inclusão?

RC – Na perspectiva de inclusão, é fundamental citar o trabalho desenvolvido nas escolas da rede municipal com as salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE), que atendem crianças com múltiplas deficiência. São 27 salas estruturadas com equipamentos adaptados. Uma iniciativa que apenas a rede pública municipal possui. Somado a isso, o atendimento para esses alunos com estagiários, que dão suporte à aprendizagem. Outro trabalho voltado à inclusão é o Centro Especializado de Reabilitação (CER) Benômia Rebouças, cuja estrutura já foi entregue na nossa gestão, uma obra que encontramos paralisada, e que vamos equipar para dar início aos atendimentos. Inclusive, com a contratação de profissionais de saúde e mão de obra especializada.

Na cultura vamos investir no acesso, formação de plateia e de novos profissionais da área.

PRN – O que o seu plano de governo defende para a cultura?

RC – Na cultura vamos investir no acesso, formação de plateia e de novos profissionais da área. Para isso queremos levar para os bairros a apresentação de espetáculos e shows, além de oficinas e cursos. Com recursos do Finisa vamos recuperar vários equipamentos do nosso Corredor Cultural como o Teatro Municipal Dix-Huit Rosado, a Estação das Artes, o Memorial da Resistência e a Praça da Convivência. Além de claro, fortalecer e ampliar o nosso calendário cultural, melhorando e inovando eventos consolidados como o Mossoró Cidade Junina e criando novas datas como ano novo e carnaval.

PRN – Por fim, quais suas as propostas para contribuir com a melhoria da segurança na cidade?

RC – Atualmente a Secretaria Municipal de Segurança Pública conta com o Centro Integrado de Operações de Trânsito e Segurança (CIOTS), ligando ao Sistema Nacional de Segurança Pública. Nós vamos ampliar essa estrutura com uso de equipamentos que melhorem e facilitem o atendimento e despacho das ocorrências. Também vamos ampliar o investimento em tecnologia como o videomonitoramento, integrado ao poder público Estadual e Federal, com monitoramento de equipamentos públicos e ruas, identificando veículos com alerta de roubos. Um convênio firmado com a Polícia Rodoviária Federal vai nos permitir fazer um cinturão de monitoramento nas principais vias de acesso à Mossoró. Ainda com relação as câmeras, vamos manter o sistema de monitoramento facial utilizado em eventos como o Mossoró Cidade Junina com possibilidade de expansão para o monitoramento diário. Queremos ainda melhorar a estrutura da Guarda Municipal que contará com mais viaturas, com foco para atender ocorrências da Lei Maria da Penha, UBSs, ronda escolar e zona rural. E também novos rádios comunicadores digitais para apoiar o atendimento das ocorrências. E aquisição de equipamento para gravação e atendimento mais ágil das chamadas feitas ao 153 (Guarda Municipal), 156 (Agentes de Trânsito) e 199 (Defesa Civil). Além de ações que não são diretamente ligadas ao combate à violência, mas que fazem muita diferença como a iluminação das vias. Já instalamos lâmpadas de led em 60% da cidade e nossa meta é chegar a 100%. Tudo isso somado a expansão dos projetos de cultura, esporte, lazer, emprego e renda para ofertar aos jovens diversas oportunidades de crescerem e se desenvolverem junto com o município.

 

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...