Indevidamente

Candidato a vice de Allyson Bezerra recebeu auxílio emergencial e tirou vaga de trabalhador

Fernandinho das Padarias somente fez o ressarcimento quatro dias após ser indicado como companheiro de chapa do deputado

Tem ganho cada vez mais repercussão o caso do empresário Fernandinho das Padarias, candidato a vice-prefeito de Alysson Bezerra (Solidariedade) que recebeu nada menos que R$ 3 mil de Auxílio Emergencial de forma indevida.

Foram cinco parcelas de R$ 600,00, no período de maio a setembro. Chama a atenção que o empresário somente tenha devolvido o dinheiro após ter sido anunciado como candidato a vice.

De maio a setembro, se você, desempregado, tivesse recebido cinco parcelas de R$ 600,00, teria mudado alguma situação problemática na sua vida? Certamente a resposta seria positiva. Mas a mesma pergunta não pode ser feita a um empresário que possui patrimônio declarado em R$ 400 mil, pois a resposta seria outra totalmente diferente.

Essa pode ser a razão que explique, por exemplo, o silêncio do candidato Allyson Bezerra após o Tribunal de Contas da União (TCU) detectar que o seu candidato a vice-prefeito teria usado de má-fé e recebido parcelas do Auxílio Emergencial do Governo Federal.

Nos bolsos de quem precisa, realmente, do dinheiro que estava vindo do Governo Federal, inicialmente em parcela de R$ 600,00, o dinheiro daria para garantir comida na mesa do trabalhador desempregado, daria para pagar uma conta de água, luz, comprar medicamento e garantir, assim, o mês sem tanta dificuldade. Ao se incluir na ação do Governo Federal, o candidato a vice-prefeito de Allyson Bezerra tirou essa oportunidade de alguém.

E o que ele disse, para justificar a sua atitude, foi pior que o soneto: o candidato a vice-prefeito de Allyson Bezerra, em nota, afirmou que teria sido vítima de fraude e que pegaram o número de seu CPF, além de uma conta bancária que estaria em desuso e colocado seu nome no Auxílio Emergencial. A explicação dele corroborou o que já era bem claro: não teria havido uma terceira pessoa. E se houve, só poderia ter sido alguém bem próximo ao empresário.

E ao fazer tal justificativa em nota, ele anexou cópia da Guia de Recolhimento da União (GRU) constando o pagamento. O ressarcimento de R$ 3 mil à União ocorreu em 16 de setembro, quatro dias depois de Fernandinho das Padarias ter sido indicado pelo ex-governador Robinson Faria, que é o presidente estadual do PSD, para compor chapa com Allyson Bezerra. Ou seja: ele apenas ressarciu o que tinha pego indevidamente somente depois de estar em campanha. Será que a mesma ação teria acontecido se ele não tivesse sido indicado para ser o candidato de Allyson?

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...