Monitoramento

65% dos bairros de Mossoró tem casos confirmados de Covid-19

Monitoramento do LAIS/UFRN aponta que somente 9 bairros da cidade não registraram casos da doença até agora.

O crescimento da quantidade de casos confirmados e de mortes pela Covid-19 nos municípios potiguares trouxe mais preocupação às autoridades de segurança pública nesta semana, principalmente pela suspeita de que a flexibilização do distanciamento social em algumas cidades contribua com este cenário.

Mais casos confirmados significa mais pessoas precisando de leitos hospitalares, o que pode gerar colapso num desequilíbrio entre demanda de pacientes e capacidade instalada nas unidades hospitalares.

No boletim divulgado nesta quinta-feira (30/4), a Secretaria de Estado da Saúde Pública (SESAP/RN) aponta a existência de 1.177 casos confirmados da Covid-19 no estado, e 56 mortes. Das vítimas fatais, 14 estavam em Mossoró, segunda maior cidade potiguar, que apresenta 174 casos confirmados da doença.

Monitoramento do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS/UFRN) mostra que os casos de Covid-19 começam a se espalhar por Mossoró, já estando presente em 65% dos bairros da cidade.

Dos 25 bairros apontados no mapa da plataforma Coronavírus RN, somente Planalto 13 de Maio, Alagados, Itapetinga, Centro, Redenção, Lagoa do Mato, Pintos, Doze Anos, Dom Jaime Câmara e Costa e Silva não registram ainda casos confirmados da doença.

Antes presente com mais força nos bairros Abolições (14,5%) e Nova Betânia (12,5%), a Covid-19 começa a se espalhar pela cidade. Aeroporto (12,5%), Santo Antônio (10,4%), Alto da Conceição (8,3%), e Santa Delmira (8,3%) completam a lista das áreas com maior incidência de casos. Barrocas (4,1%), Bom Jardim (2%), Paredões (4,1%), Boa Vista (2%), Ilha de Santa Luzia (4,1%), Belo Horizonte (4,1%), Bom Jesus (2%), Rincão (2%), Alto de São Manoel (4,1%), Alto de Sumaré (2%), e Dix-sept Rosado (2%) são os outros bairros onde a doença foi detectada.

O monitoramento da plataforma Coronavírus RN é feito com base em dados do Laboratório Central (LACEN/RN) e SESAP/RN.

Agência HiperLAB/UERN

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...