Opinião

Vídeo: Isolda critica projeto que classificou escola privada como essencial

Para deputada, ao se excluir as instituições públicas, a consequência poderá ser o aumento da desigualdade

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (AL/RN) aprovou na manhã de ontem (31/3) os projetos que definem as atividades educacionais e as igrejas como essenciais em período de calamidade pública.

Durante a leitura do projeto, os deputados concordaram em excluir as escolas públicas da matéria. A deputada Isolda Dantas (PT) foi a única deputada a não votar o projeto.

Ao se abster do voto, a deputada defendeu a escola pública. “Há consenso que a educação é essencial, não há divergência sobre isso. Há diferença entre educação ser essencial e aulas presenciais serem essenciais. Estudei a vida inteira em escola pública e não posso, em um momento desses, separar escola pública de escola privada. Faz parte do meu princípio de cidadã. Isso vai aumentar ainda mais a desigualdade. Vou me abster dessa votação. Precisamos batalhar pela vacina, porque não tem nada mais essencial do que a nossa vida”, disse.

Veja o vídeo:

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...