Vai-se o homem, fica-se a lenda

1986. Aos 11 anos, passava a manhã rodando alguns bairros do grande Alto de São Manoel empurrando um carrinho de picolé, e contando as horas para assistir à tarde alguns jogos da Copa do Mundo daquele ano. Após as partidas, no espaço lateral de nossa casa, no Liberdade I, improvisávamos m campinho de futebol e reproduzíamos, com a matéria-prima com que se constroem os sonhos, cada uma das jogadas do maior jogador daquela competição: Diego Armando Maradona. Embora tenha lembranças do que foi a disputa de 4 anos antes, foi em 1986 que a Copa do Mundo se estabeleceu como paixão entre as coisas que admiro, experimento e vivo. Em 1990, mesmo sendo nosso carrasco, a admiração só aumentava. Cada lance genial, cada golaço, cada drible, sempre foram maiores que seus erros, independente do tamanho deles. Seu gigantismo dentro de campo dificilmente será superado em algumas centenas de anos. A morte levará o homem Diego. Fica a lenda Maradona.

SILAS MAL A MAL

O pastor(?) e líder (?) religioso (?) Silas Malafaia, um dos maiores charlatões da fé alheia, publicou vídeo no YouTube pedindo que os cristãos não votem em Boulos para prefeito de São Paulo. A pretexto de fazer o bem para alguns, Malafaia espuma ódio ao tentar apresentar o que ele chama de argumentos. Incrível como Malafaia, sobre quem pesam várias acusações por participação em esquemas fraudulentos, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, passiva e peculato, acha que tem alguma moral para condenar quem quer seja ou aconselhar seja lá quem for.

LEGADO DE FÁTIMA

Admirável o trabalho da governadora Fátima Bezerra (PT/RN) em relação às forças de segurança do Rio Grande do Norte. Além de trabalhar a efetivação de mais de mil novos policiais militares, o governo Fátima lançou hoje o edital do concurso da Polícia Civil. Estão sendo ofertadas 301 vagas, mas poderão ser convocados algo próximo a mil aprovados (delegado, agentes e escrivães).

 

COVID EM ALTA

Como era de se esperar, a pandemia da Covid volta a assustar em todo o país. Além das movimentações políticas, há muito desrespeito às normas de biossegurança em várias regiões brasileiras, como shows, aglomerações em praias e bares, por exemplo.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...