Uma pesquisa, várias questões

Diz o adágio político que pesquisa se combate com pesquisa. Como toda assertiva, tem sua verdade e sua parte questionável. Principalmente quando a própria pesquisa é carregada de fatos questionáveis. Tanto na sua realização quanto nas circunstâncias anteriores a ela.

Mesmo que as características da consulta sejam cheias de equívocos, como o fato de o registro apontando a cidade de Caicó como local de realização da coleta, percebe-se claramente que a pesquisa tem um objetivo claro: colocar um dos candidatos para polarizar com Rosalba Ciarlini. E caso continue sendo feitas como ocorreu até agora, pode ter certeza que na próxima ele já estará na frente.

Entre os fatos que me chamaram a atenção, um é interessante. A candidata Irmã Ceição não foi lembrada por ninguém para ser votada (nem na espontânea nem na estimulada), mas aparece com alto índice de rejeição. Ora, se ninguém lembra dela, como é que rejeitam ela?

Outro fato a ser observado é que a pesquisa que era cheia de coincidências para dar um resultado confirmou o resultado que as coincidências queriam.

Nesses tempos em que as redes sociais potencializam os fatos e os movimentos das ruas, uma pesquisa dessa natureza vai colocar alguém na crista da onda. Principalmente se esse alguém gostar de impulsionar publicações. Legais ou não.

 

SEM CORRUPÇÃO???

E como cheia mal essa história do senador com R$ 30 mil reais na cueca. Chico Rodrigues (DEM) era vice-líder do governo no Senado e empregava no gabinete um sobrinho do presidente Bolsonaro (sem partido). Como se vê, não há nenhuma relação do senador com o atual governo do país.

SAL GROSSO

A operação Sal Grosso está trazendo dores de cabeça aos ex-vereadores Daniel Gomes (MDB) e Claudionor dos Santos (PL) e aos vereadores Manoel Bezerra de Maria (PP) e Izabel Montenegro (MDB).

CAMPANHA E COVID

Como se desconfiava, os números da covid começam a subir no Rio Grande do Norte. Reflexo das aglomerações recorrentes registradas no Estado, principalmente as movimentações da campanha eleitoral.

CAMPANHA E FAKE

Também como se imaginava, o uso de fake news na campanha municipal em Mossoró segue a todo vapor. Criminosos fizeram montagem utilizando até menos imagens do Portal do RN. Caso de polícia, com os devidos encaminhamentos já feitos pela direção.

CAMPANHA CARA

Num município muito próximo a Mossoró, dinheiro parece não ser problema para alguns candidatos a vereador. Um voto está custando nada menos que R$ 300 reais. Mas esse pessol que vende o voto é todo contra ele a corrupção.

 

AULÃO ENEM

Amanhã tem início os aulões da SEEC/RN. Acompanhe aos sábados e domingos, das 6h ás 8h, o Juntos no ENEM no canal 3.1, Band Natal.

 

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...