Pouco caso

Sindicato faz nova tentativa por audiência com a prefeitura

Gestão não respondeu ao primeiro ofício para tratar sobre demandas da educação, mesmo com o início do ano letivo estando cada vez mais próximo

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDISERPUM) protocolou nesta segunda-feira, 27/1, um novo ofício em que solicita da prefeitura uma audiência para discutir a pauta de reivindicações dos servidores da educação.

Um primeiro ofício com esse objetivo foi protocolado em 19 de dezembro, mas passados quase 40 dias, não houve qualquer resposta. “O 1° oficio não foi respondido. Protocolamos no Gabinete 2° ofício solicitando audiência para negociar a pauta da educação”, publicou a professora Marleide Cunha, presidente do SINDISERPUM, nas redes sociais.

No ofício, o sindicato apresenta 12 pontos de pauta, construídos coletivamente pelos profissionais da educação, tais como: reajuste do piso salarial para 2020, mais reposição de 1,2% de perdas salariais; cumprimento da Lei 11.738/09 no que se refere à reserva de um terço da jornada de trabalho para planejamento pedagógico; aprovação da lei da gestão democrática com realização de eleição para escolha de gestores educacionais, pagamento do Prêmio do Décimo Quarto Salário de 2017 e publicação e pagamento do Décimo Quarto Salário de 2018.

Também constam da pauta: publicação e pagamento das progressões funcionais de classe e nível, inclusive as atrasadas; realização urgente de concurso público para a educação; respeito à duração da aula de 50 minutos na distribuição da jornada de trabalho dos professores; publicação das licenças vencidas; publicação de calendário de pagamento dos salários de 2020 dos servidores municipais; reajuste do auxílio-deslocamento dos profissionais que atuam em unidades de ensino localizadas na zona rural e melhoria das condições de trabalho para desenvolvimento das atividades pedagógica.

Desde o dia 9 de janeiro, quando publicamos a reportagem sobre o primeiro ofício, que aguardamos pronunciamento da prefeitura de Mossoró, sobre quando a audiência será agendada. Assim como o SINDISERPUM, continuamos na espera.

Notícias semelhantes