Réquiem para um delírio golpista

Lamentável, torpe, inadequada, insidiosa, desproporcional, vil, desarrazoada, infame, intimidatória, achacadora, constrangedora, espetaculosa, atemorizadora, sorrateira, reles, imprestável, blasonadora, bravateira, arrogante, fanfarrona, jactanciosa, imoderada e ridícula. Assim pode ser definida a nota conjunta divulgada pelo Ministério da Defesa e os comandantes das Forças Armadas contra a CPI da Pandemia. 

As Forças Armadas, que quedam silentes diante dos escândalos de muitos dos seus entes, sente-se desrespeitada quando se toca em suas feridas. Talvez porque elas sigam abertas, à vista de todos, e apenas elas fingem não ver.

O Ministério da Defesa e as tais forças acham que ninguém se lembra das várias viagens feitas por um tenente da Aeronáutica para traficar drogas em avião da FAB.

Pensam que todos acreditam que foi apenas por engano que sob o comando de um general do Exército, uma carga de vacinas para salvar vidas foi parar no Amapá quando deveria ter ido ao Amazonas. Para eles, equívoco. Para a população, transtorno, angústia e mortes.

Ministério da Defesa e Forças Armadas não escrevem uma linha sobre as compras superfaturadas (tantas) feitas pelo Exército. E até empurraram para debaixo do tapete as sujeiras que as infrações cometidas por Pazuello causaram ao participar de atos políticos com o presidente.

As Forças Armadas permitiram se envolver em tanta jogada miliciana que hoje é difícil pensar que faça algo por vontade própria. E não é apenas porque Braga Neto é o comandante do Ministério da Defesa. O cadáver fede faz tempo. Cada nota intimidatória só faz aumentar o mau odor que dele exala.

A bravata só tem duas serventias: tentar acobertar os malfeitos do pessoal da caserna em consórcio com o presidente genocida, e ser uma prece ao delírio golpista de Bolsonaro.

Um novo desafio surge. E urge. Bolsonaro chama de seu um Exército que se acovarda em tais achincalhes. As evidências mostram que ele brinca de forte apache manipulando também Marinha e Aeronáutica. Já passou da hora de as Forças Armadas limparem o cão. Mesmo que a arma possa disparar.

TOMBA FARIA

Também fora de propósito o ataque feito pelo deputado estadual Tomba Faria (PSDB/RN) aos professores e professoras do Rio Grande do Norte. Desmontando conhecimento de causa e despreparo, Tomba disse que esses profissionais estão há 1 ano e 9 meses sem trabalhar. Perdeu uma ótima chance de ficar calado.

EM DEFESA

Percebi algumas poucas vozes em defesa dos trabalhadores da educação: deputados Isolda Dantas (PT) e Francisco do PT; e vereadores mossoroenses Tony Fernandes (Solidariedade), e Marleide Cunha (PT).

FEIRA DO IMIGRANTE

A realização da Feira do Imigrante que acontece neste sábado em Mossoró é fruto da luta, do empenho, da disposição, do esforço, da inteligência e sensibilidade da professora Eliane Anselmo, do Departamento de Ciências Sociais e Política (DCSP) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Aliás, tem sido ela uma das poucas – talvez única – vozes em defesa dos imigrantes na cidade.

COMO SE APARELHA?

Uma forma de aparelhar instituições fiscalizadoras é nomeando parentes de membros de seus órgãos em cargos em comissão. Em Monguaguá, esposa de promotor vira auxiliar de prefeito. Ainda bem que Monguaguá é muito distante dessas bandas.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...