REFORMA DA PREVIDÊNCIA: QUEM PERDE?

O tema que tem dominado as rodas de conversas, os debates e o noticiário é a Reforma da Previdência. Muito tem se dito e pouco se tem buscado compreender. Algumas certezas: militares não querem entrar na reforma. Parlamentares também não. E o governo quer fazer caixa, o que não significa que haja déficit na Previdência. A CPI da Previdência mostrou que não há rombo e o próprio presidente Bolsonaro remanejou 600 bilhões de reais que estavam nos cofres do sistema previdenciário.

Se o governo pretende economizar um trilhão, como tem dito o ministro da Economia, Paulo Guedes, com certeza é dinheiro que será tirado do bolso do trabalhador.

Três questões principais chamam a atenção.

A primeira delas é que o Benefício de Prestação Continuada (BCP), concedido a idosos que não tiveram condições de contribuir ao longo da vida (por viverem em situação de extrema pobreza), e que hoje recebem um salário mínimo, passariam a receber apenas 400 reais.

A segunda questão é que uma das categorias mais prejudicadas são os professores. Além de perderem a chamada aposentadoria especial (que lhes garantiam se aposentar 5 anos mais cedo que os demais trabalhadores), os docentes agora somente se aposentam com 40 anos de contribuição.

E por fim, devemos lembrar que pouca gente está atentando que as datas mínimas para se aposentar de 62 anos para mulheres e 65 para homens irão aumentar a partir de 2024. Trata-se, portanto, de um projeto que, a curto e médio prazo diminuem o benefício previdenciário do trabalhador e que a longo prazo irá acabar de vez com a seguridade social pública no Brasil.

SOBRAS DO JUDICIÁRIO
Tem evaporado em velocidade de supersônico o dinheiro extra que o Tribunal de Justiças do Rio Grande do Norte (TJ/RN) tinha em caixa. O ex-presidente Cláudio Santos tinha dito que eram 500 milhões. O desembargador Expedito Ferreira afirmou, ao final do mandato de presidente, que tinha deixado mais de 200 milhões. O atual presidente, desembargador João Rebouças, garante que há apenas 2,6 milhões. Informou também, em entrevista a uma rádio da capital, que há outros R$ 100 milhões empenhados.

REFORMA EM CAPELA
A capela de São José, no Nova Vida, vai passar por reformas. As obras compreenderão melhorias na alvenaria e substituição do telhado. Para custear o serviço, a coordenação da capela vai promover uma feijoada no próximo dia 10 de março. As senhas, ao preço de 5 reais, já estão sendo vendidas.

CAMPANHA SALARIAL
A Federação dos Trabalhadores em Administração Pública Municipal do Rio Grande do Norte (FETAM/RN) realizou no último sábado, na cidade de Tibau, o lançamento da Campanha Nacional Salarial Unificado dos servidores públicos. O lançamento contemplou os sindicatos que integram o Polo Oeste da FETAM.

COLAÇÃO DE GRAU NA UERN
A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) realiza amanhã, 26 de fevereiro, solenidade de colação de grau dos concluintes do semestre letivo 2018.1. Será a partir das 18h30, no Teatro Municipal Dix-huit Rosado. Os formandos devem comparecer à Diretoria de Registro e Controle Acadêmico (DIRCA) no mesmo dia, pela manhã ou à tarde, para assinar o respectivo diploma.

PLANO DE CARREIRA DESRESPEITADO
Há pelo menos 500 professores reclamando que a prefeitura de Mossoró não está respeitando o plano de carreira da categoria. São docentes que estão na classe inferior a que deveriam realmente estar e esperam que a prefeita Rosalba Ciarlini faça o devido enquadramento profissional.

 

Notícias semelhantes