Quem ganhou e quem perdeu

Pronto, a insanidade agora tem outro discurso. A temática descabida do momento é, fulano ganhou e sicrano perdeu com o anúncio de que a vacina chega ao Brasil para o combate ao novo coronavírus. Minha gente, vamos parar de tolice, não tem essa história de vitória do governador João Dória e derrota do presidente Bolsonaro, quem ganha mesmo é o país e sua gente que precisa de proteção contra essa doença que matou, continua matando e matará muito mais se não existir o combate direto, ou seja, a vacina.

Não importa sua origem, o que interessa é a sua eficácia, e ponto. No mais, tudo não passa de briga pelo poder. Quem ganhou quer se manter na bancada que manda e quem perdeu tenta retornar. Vamos adotar a política do personagem Paulo Cintura e gritar que, “saúde é o que interessa e o resto não tem pressa”. E no caso, o resto citado na frase, é exatamente a política, ou melhor, a disputa pelo poder. Já perdemos muito tempo com bobagem.


ABASTECIMENTO DE ÁGUA EM TIBAU

Antes de qualquer outra observação faço um destaque para o esforço dos funcionários da Caern. Nota dez para a equipe de campo, que mete a mão na massa buscando resolver o problema. No mais, é cobrar do governo do Rio Grande do Norte uma solução para o abastecimento de água na cidade de Tibau. Não cabe mais remediar, é preciso um novo poço profundo. A cidade cresceu e não é apenas o acréscimo de visitantes no período de veraneio.

A prefeitura do município tomou a decisão certa ao levar o caso para o judiciário, quem sabe assim desperta o interesse da governadora Fátima Bezerra, através da Companhia, para resolver em definitivo o problema. Questão de ordem técnica sempre existirá, porém é preciso, acrescento, aparelhar a Caern no sentido de atender bem a população. Se a empresa continuar sucateada, sem os equipamentos adequados e bombas reservas, essa penúria vai durar eternamente. O que é lamentável.

GUERRA DE INFORMAÇÕES

A eleição passou, porém continua a guerra de informações, tendo como protagonistas o governo que saiu e aquele que entrou no comando da prefeitura de Mossoró. Ao invés de gastar o tempo com a implantação do seu programa para administrar a cidade, a equipe do prefeito Allyson Bezerra resolve atacar seus antecessores. E, por sua vez, ao invés de arrumar as malas e sumir, quem saiu fica alimentando a briga respondendo com acusações.

Observando a cena eu digo, a cidade quer andar. Quem perdeu saiba respeitar o resultado das urnas e, quem venceu, é hora de trabalhar e não se manter no discurso como se ainda estivesse em palanque de campanha. Se existia algo de errado na gestão da prefeita Rosalba Ciarlini, o povo já sentenciou com mudanças, e se esse erro é crime, que seja então levado para apreciação da justiça. Fora disso, vai parecer que todos estão perdidos na guerra de informações, e isso tem cheiro de incompetência. De onde eu vim, pra onde vou? Parece que o cachorro caiu do caminhão da mudança.

A PRIMEIRA IMPRESSÃO

Depois de algumas reuniões, reações e declarações, se fosse para definir o novo presidente da Câmara Municipal de Mossoró, vereador Lawrence Amorim, eu diria: Centrado. E eu diria que não me surpreendeu, pois estamos falando de um político com dois mandatos de prefeito e uma suplência de deputado federal, além de ter como base uma boa família. Nos resta desejar que tudo continue assim, embora seja uma postura difícil no ambiente político de tantos interesses.

Nos primeiros dias no cargo, por exemplo, ele tem se portado de forma firme e equilibrada em suas decisões quando aparecem temas mais duros, não se deixando envolver pela postura emocional de alguns dos seus interlocutores. E vai precisar de muita frieza, pois a turma que acha que tudo pode de qualquer jeito, não desiste. Enfim, a impressão passada foi positiva e isso é bom para quem ocupa um cargo tão importante para os rumos e desenvolvimento da cidade.

ENEM DIGITAL, NOVA REALIDADE

Em formatação desde 2016, com estudos permanentes até a sua viabilização agora em 2021, um total de 90 mil estudantes estarão participando da primeira edição do Enem digital. Mas, antes exame sair do papel direto para as máquinas, ainda tem o Exame Nacional do Ensino Médio no formato tradicional. Esse acontece em duas datas, dias 17 e 24, agora no mês de janeiro.

Por sua vez, agora a experiência digital, o Enem vai acontecer nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. Em detalhada matéria postada aqui no Portal do RN, foi dito que as provas serão realizadas em laboratórios de informática de escolas e universidades que já foram previamente testados pelo Inep. Ao todo, serão cerca de 4 mil laboratórios, com cerca de 20 computadores cada. As máquinas terão acesso apenas à prova. Os estudantes não conseguirão, portanto, acessar a internet ou documentos do computador. Lembrando que a prova de redação será escrita a mão, ou seja, os estudantes deverão levar caneta esferográfica de tubo transparente da cor preta.

RESPIRADORES E OS CINCO MILHÕES

Setembro passou, outubro, novembro e dezembro. Já estamos em janeiro e, meu Deus que destino tomou os cinco milhões dos pobres cofres do governo do Rio Grande do Norte? Espero que vocês não tenham esquecido, pois eu não esqueci. O valor já citado foi investido no tal Consórcio de Governadores do Nordeste para comprar respiradores que seriam utilizados no combate ao Covid-19. O dinheiro foi, porém os respiradores não vieram.

A única diferença desta negociação em comparação ao cinema, é que no local de exibição da fita, você paga antes e assiste ao filme depois. Na negociação não, o pagamento foi antes e ficou nisso mesmo. É incrível que no Rio Grande do Norte quando se trata de coisas menores a cobrança é gigante. Já no caso dos cinco milhões, a impressão é que nada aconteceu. Acorda povo!

MENSAGEM

“O silêncio é de ouro e muitas vezes é resposta”.

Sabedoria popular

FINALMENTE A VACINA CHEGANDO

Depois que o governo federal, através do Ministério da Saúde, assinou contrato para adquirir 46 milhões de doses da vacina Coronavac do Butantã, isso na quinta-feira, 7, o governo do Rio Grande do Norte, um dia depois, confirmou que as primeiras doses chegam ao território potiguar até o dia 31 de janeiro. Que os anjos digam amém e a vida seja mais importante do que as picuinhas políticas.

A própria governadora Fátima Bezerra já se reuniu com assessores e assegurou que a vacinação começa 72 horas após a chegada do material no Estado. Ela também informou que serão 714 pontos de vacinação espalhados por todo o Rio grande do Norte. Para garantir a vacinação no combate ao Covid-19, o RN possui 900 mil seringas, e já encaminhou a aquisição de mais dois milhões para que o processo de imunização da população potiguar não sofra interrupções. Ótima notícia.

MORRENDO A QUALIDADE

Perdemos Vanusa, estrela desde os tempos da Jovem Guarda, no segundo semestre do ano passado e agora, começando 2021, morre Genival Lacerda, nome importante do forró raiz. Enquanto isso, parafraseando o camaradinha Caby da Costa Lima, continuam vivos cantores de músicas do tipo “xereca dela”, “desce e quica na bunda” e outras bobagens do gênero. E o pior de tudo, ainda tem aquela aula de antropologia na qual se diz que tudo isso faz parte da cultura.

Bom, se falta de qualidade se mistura ou não com cultura, pode até ser tema de outra discussão, porém é exagero levar e defender cegamente esse tipo de manifestação como sendo algo da nossa cultura. Eu diria diferente, invadiram o espaço da boa música com o discurso do apelo comercial. Para complicar, quem escuta esse tipo de música, não quer curtir sozinho. Mete o som em potentes carros com os chamados “paredões”, promovendo um barulho ensurdecedor que tira o sossego de todos.

FICOU ESTRANHO

Antecipo aqui que não estou dizendo que eles estão errados, certamente conhecem melhor a situação e sabem o que estão fazendo, porém ficou, no mínimo estranho, esse início de governo em diferentes municípios do Rio Grande do Norte. Uma enxurrada de decretos e, todos eles, a meta é conter despesas, ou seja, nada de novo poderá ser feito nos próximos meses por falta de recursos.

E eu digo o motivo de achar estranho. Em todas as campanhas o que mais se ouvia dos candidatos, principalmente daqueles que pretendiam entrar na prefeitura, eram cobranças. Todos exigiam a compra mais remédio, mais postos de saúde, mais ruas calçadas, mais água para zona rural, mais esgoto, mais praças construídas entre outros. Agora, na primeira semana de trabalho, ou quando deveriam trabalhar para fazer tudo isso, diz que não pode, não tem recurso. E antes, quando faziam a cobrança, vocês sabiam que não tinha e só queriam o voto do eleitor? Isso se chama calote eleitoral.

TRIBUNAL DO JÚRI NO BANCO DOS RÉUS

Isso mesmo, o Tribunal do Júri Popular no Brasil, vai sentar no banco dos réus. Para os analistas que vivem mais de perto as atividades do Supremo Tribunal Federal (STF), uma discussão deve ocupar espaço certo durante o ano de 2021. O foco é, as decisões do Tribunal do Júri devem ser mantidas ou revisadas? O caso ganhou força depois de duas absolvições, uma por tentativa de feminicídio e outra de homicídio.

No primeiro caso um homem foi absolvido após esfaquear a ex-esposa, e sua tese de defesa foi a de legítima defesa da honra. No segundo o homem pediu clemencia depois de tentar matar a pessoa que assassinou seu enteado. Nos dois casos o STF manteve a sentença. Argumenta-se que a posição do Supremo foi apenas no sentido de respeitar aquilo que decidiu o tribunal do júri popular. Essa postura provocou a discussão para avaliar se a decisão de pessoas leigas é superior ou não a posição de um juiz togado.  Aguardemos o desfecho.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...