Que medo Bolsonaro oferece?

Já vi presidentes, governadores e até prefeitos cometerem pouquíssimos erros e virarem reféns de deputados federais, deputados estaduais e vereadores, respectivamente. Coisas que nem de longe se comparam ao que Bolsonaro faz.

O atual presidente extingue órgãos de controle, compra deputados, tem suspeitas de ligação com milícias, libera agrotóxicos, permite desmatamento, tem ministros acusados de crime, ameaça pessoas, anuncia que fará nepotismo, enfim, faz tudo que é condenável (moralmente, eticamente e/ou criminalmente) e não acontece nada. E não falo nem do Congresso, onde ele tem maioria e a oposição, mesmo com suas limitações (sempre é muito difícil enfrentar o rolo compressor da máquina pública a favor de quem está no poder), mas das instituições em geral.

O Judiciário, em especial o Supremo Tribunal Federal (STF) ou está apoiando o governo politicamente (que não é seu papel) ou está com medo (o que não deveria ocorrer).

As associações de juízes, de promotores, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e tantas outras entidades estão num silêncio vergonhoso. Parece que a OAB somente se manifestará quando o governo declarar desnecessária a atuação da advocacia como auxiliar da Justiça.
A impressão que se tem é que Bolsonaro mete medo. Se assim o for, está provado por A mais B que a Ditadura existe e deixou silente quem deveria reclamar: ou por medo ou por cumplicidade.

Alto nível
De excelente qualidade a formação oferecida pela Secretaria Municipal da Educação no último sábado, 13/7, sobre “Elaboração do currículo à luz da BNCC”. Ótima organização e palestrantes muito qualificados. O Teatro Municipal Dix-huit Rosado, lotado do início ao fim do evento, é demonstração de que a atividade agradou a todos.

Baixo nível
A família do presidente é de uma pobreza moral, cultural, intelectual e cognitiva gritante. Lamentável que parte do eleitorado os tenha colocado em funções públicas tão importantes: presidente, senador, deputado e vereador.

Corruptos contra corrupção
Novas mensagens vazadas mostram o procurador Deltan Dalagnol pedindo a Moro dinheiro para bancar campanha contra corrupção para veicular na Globo. Deltan não poderia pedir, Moro não deveria liberar. Agiram corruptamente sob pretexto de combater a corrupção.

Emendas populares
A deputada estadual Isolda Dantas (PT/RN) realiza no próximo sábado, 20/7, o primeiro encontro do Projeto Emendas Populares, através do qual vai ouvir a população sobre como poderão ser utilizados os recursos das emendas que ela vai apresentar à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO 2020). A atividade inaugural acontecerá no Parque das Rosas (por trás da Escola Municipal Maria do Céu Pereira) a partir das 16h.

 

Notícias semelhantes