Para pensar

Em 10 dias, declarações de Bolsonaro têm preconceito, dados falsos e sarcasmo. Essa manchete do Uol dá bem a noção de como tem sido o discurso e a prática do presidente do Brasil. Para completar, ele fugiu de uma pergunta incômoda (sobre o uso do helicóptero da FAB para transportar convidados do casamento do seu filho), e foi de uma crueldade imensa ao dizer que se o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (Felipe Santa Cruz) quisesse ela informaria como o pai do advogado desapareceu na Ditadura. Ora, todos sabemos como foi. Dizer isso, no tom que disse, é vilipendiar com uma dor lancinante como a que sentem todos aqueles que tiveram parentes vitimados pelo regime militar.

Nisso tudo, impressiona o silêncio do Congresso Nacional e a cumplicidade do Supremo Tribunal Federal (STF). O Estado foi dividido em três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) para que os demais freassem quando um deles exorbitar. Desde que Bolsonaro assumiu que juízes e parlamentares tem adotado um silêncio preocupante.

Alexandre Garcia
Nauseante ouvir Alexandre Garcia contorcendo-se para fazer a defesa – às vezes indefensável – do governo Bolsonaro. Como deturpa os fatos! Como esconde a verdade! Como olha para o retrovisor! A dificuldade é tanta para fazer a defesa que passa mais tempo gaguejando que articulando frases. Deprimente.

Cópia local
Em Mossoró, há uma cópia de Alexandre Garcia. Usa o mesmo método para fazer a defesa dos seus políticos prediletos. Lamentável que o compromisso seja com as pessoas e não com os fatos e, principalmente, com a verdade.

Cópia local
Para ilustrar, numa rádio controlada pela prefeita Rosalba Ciarlini, esse profissional disse hoje que os salários estão sendo pagos rigorosamente em dia. O mesmo rigor que falta no pagamento faltou na informação. Parte da folha é paga no último dia útil. O restante, em fatias.

Persuasão
Um vereador governista revelou a pessoas próximas, final de semana passado, o argumento forte que a prefeita Rosalba utilizou para que a bancada de situação votasse o projeto que acabou com a obrigatoriedade do desconto da mensalidade sindical em folha de pagamento. Ou votavam a favor ou perderiam todos os cargos que mantém na estrutura da prefeitura.

Sob vara
A prefeitura de Mossoró tem publicado no Jornal Oficial do Município (JOM) promoções funcionais de servidores públicos do seu quadro de pessoal efetivo. Um detalhe: por força judicial. Por sua vontade, as promoções tem sido feitas a conta gotas.

 

Notícias semelhantes