Os sensatos estão nas redes, os bandidos nas ruas

Respeito o direito de quem quer defender qualquer pessoa ou coisa. Por mais que estranhemos que exista gente defendendo um presidente que age contra o povo, a ciência e a educação, é direito delas defender o mal. Há, porém, um limite. Como o há para todas as coisas.

Se estamos num momento de grave crise sanitária em que as aglomerações são o principal meio de disseminação da uma doença, o bom senso pede que fiquemos em casa.

Mais que isso. No caso atual, a ciência pede para ficar em casa. Trata-se de uma obrigação.

Se há decretos determinando o isolamento, quem está na rua é desrespeitoso, desumano e criminoso.

Os sindicatos e movimentos sociais tem capacidade de mobilização para ir às ruas denunciar os graves crimes cometidos pelo governo genocida do miliciano Bolsonaro. Não o fazem por algumas razões. A principal delas é que valorizam a vida. Tem amor pelo próximo. E respeitam as leis.

Nesse momento de caos sanitário que o governo Bolsonaro agrava, os sensatos estão fazendo seus protestos pelas redes sociais. Os bandidos estão nas ruas. Causando aglomerações, desrespeitando decretos e proliferando o vírus.

A covid não é uma escolha individual. Ir para as ruas é também colocar as vidas dos outros em perigo. Periclitação da vida, é importante lembrar, é crime (artigos 131 e 132 do Código Penal).

 

DILEMA DA REDES

Vejo gente que acessa as redes sociais dizendo, de forma recorrente, que elas estão tóxicas. A  maioria dos que criticam o que os outros postam nas mídias digitais parece querer ver e ler nas redes sociais apenas aquilo que lhes agrada. São esses que vivem de criticar o que para eles é extremismo dos outros.

 

NEGAÇÃO AFIRMATIVA

O ministro da Justiça Anderson Torres disse, em entrevista à revista Veja, que não vê interferência de Bolsonaro nas ações da Polícia Federal (PF). Além de ser um tremendo cara de pau, Anderson revela que as interferências continuarão ao afirmar que ele próprio vai pedir à PF relatórios sobre investigações feitas pela corporação. E vai utilizar esses relatórios para defender o presidente na CPI da Covid.

 

DITADURA DA AMEAÇA…

Carla Bridi, repórter da CNN em Brasília, relatou, em sua conta no twitter, ter sofrido ameaças por parte da segurança do governo Bolsonaro no Palácio do Planalto neste domingo, 2/5. Enquanto tentava seguir o comboio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ela disse ter sido intimidada por um segurança sem máscara de proteção contra a covid-19. No momento, ele ainda teria colocado a mão em cima da própria arma.

 

…TORTURA DA DITADURA

Órgãos de defesa dos direitos humanos denunciam que o ativista Rodrigo Pilha tem sido espancado e torturado na prisão, em Brasília (DF). Pilha foi preso por críticas ao governo bandido, genocida e miliciano do presidente Bolsonaro.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...