O SAL TEM QUE SER O NOSSO

Na coluna anterior, ainda no ar ao lado desta, nós começamos dizendo que “O PETRÓLEO AINDA É NOSSO”, e hoje vamos acrescentar mais um produto natural que fomenta a economia de Mossoró e do Rio Grande do Norte defendendo a tese de que “O SAL TEM QUE SER O NOSSO”. Os vereadores de Mossoró reagiram e pedem apoio dos parlamentares (deputados federais e senadores) do Rio Grande do Norte para que não silenciem diante da decisão do presidente Jair Bolsonaro que resolveu reeditar um decreto do governo anterior que favorece o sal chileno no Brasil com incentivos fiscais. Essa decisão traz prejuízos, com concorrência injusta com o melhor sal do mundo, que é produzido em terras potiguares. Esse gesto, como bem foi definido, coloca o presidente da República dando com uma mão e tirando com a outra quando, anteriormente, havia reconhecido o sal do RN, via decreto, como bem social. Este gesto beneficiou, o segundo ato gera prejuízos. Se é para beneficiar, facilitar a sua produção e comercialização, reforço, O SAL TEM QUE SER O NOSSO.

EXPOASSÚ COM SUCESSO GARANTIDO

Os organizadores da primeira edição da Exposição Agropecuária do Assú (Expoassú) já comemoram os primeiros resultados, embora o evento esteja programado para acontecer somente nos dias 2, 3 e 4 de agosto, mês vindouro. O motivo da confiança no sucesso antecipado do evento é o fato das 64 baias montadas, no caso são os famosos currais, já foram reservados. E estas reservas incluem agropecuaristas do próprio município, da região do Vale do Açu e outras cidades do Rio Grande do Norte.  A edição primeira da Expoassú, que oferecerá uma premiação de R$ 20 mil e a possibilidade de bons negócios para o setor, vai acontecer na “Arena Dnocs”, que fica na rua Dr. Luís Antônio no birro Dom Elizeu. Daqui votos de mais sucesso.

PREVIDÊNCIA: CORRIDA CONTRA O TEMPO

Transcrevo abaixo texto atribuído ao G1 postada em um grupo de advogados.

ATENÇÃO!

O servidor que tiver tempo de contribuição do INSS no ramo privado, para averbar para a sua aposentadoria, CORRA. Peça logo a sua CTC (Contagem de Tempo de Contribuição) e dê entrada na averbação, no seu RH atual.  A nova proposta da reforma da previdência quer tirar o direito do servidor incluir o tempo de serviço no ramo privado.

“Os servidores públicos não poderão mais usar o Certificado de Tempo de Contribuição (CTC) para averbar o período trabalhado na iniciativa privada, e vice-versa, para fins de aposentadoria. A decisão estaria no texto da medida provisória que cria regras não só para o pente-fino em benefícios do INSS (pensão por morte, aposentadoria rural e auxilio reclusão) como também torna as concessões de benefícios mais rigorosas, segundo informações do site G1. Ou seja, a medida dificultará, e muito, a aposentadoria do servidor público, adverte Adriane Bramante, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP).”

PREVIDÊNCIA 2

Incrível como existe uma espécie quase de “obsessão” de muitos envolvidos na política em cargos eletivos em querer tirar direitos dos servidores públicos. Parece que o fato de um lado ser efetivo e outro ter que correr atrás do voto a cada quatro anos para permanecer, para alguns, no “emprego” deixa essa turma irritada, raivosa. A medida acima é apenas uma das muitas maldades que se tenta praticar contra o servidor público das mais diferentes esferas. Se o cidadão trabalhou e conquistou direitos, dentro da legalidade não consigo entender tamanha sanha. É por isso que o servidor menos atento diante de um aconchego ou agrado temporário, precisa ficar alerta se o gesto não compreende entregar com uma mão e tirar com a outra. Não se iluda com o passageiro e passe a unir forças aos permanentes.

DESABAFO DA TREINADORA

Encerrada a participação da seleção brasileira na Copa do Mundo de futebol feminino disputada na França as câmeras de TV foram desligadas, a modalidade saiu do foco e, lamentável, retornaram a situação de descaso. É o que nos mostra um vídeo gravado pela treinadora Emily, do time sub-18 do Santos de São Paulo com suas atletas dormindo na recepção de um hotel, pois a CBF não havia feito a reserva para o dia da viagem. E a treinadora não fica restrita ao seu clube, ela mostra todo o descaso existente com o futebol feminino narrando as condições precárias de jogadoras do Sport e do Vitória. O quadro de desorganização e pouca ou nenhuma atenção com futebol feminino no Brasil é flagrante.

DESABAFO DA JOGADORA

Quem também andou usando as redes sociais para desabafar e denunciar a bagunça, como ela mesma definiu, que é o futebol feminino no Brasil, foi a jogadora Cristiane, atacante titular da seleção. Quase como uma agressão a condição de atleta, ela denuncia os jogos da categoria sub-18 em dois e dois dias, ou seja, sem tempo para o devido descanso físico e até emocional que se vive em uma partida de futebol. Ela questiona também que estaria na hora de reciclar as pessoas que se colocam para trabalhar com o futebol feminino, dando espaço para quem realmente se importa com a categoria. Cristiane não escolhe alvo específico e diz que seu “puxão de orelha é pra geral”, incluindo Confederação, Federações, clubes e as próprias atletas. Foi tudo bonitinho na Copa da França, mas chegou o momento, e todos concordam, de mudar a realidade em solo brasileiro. Elas merecem não só pelo espaço conquistado, mas também pelo talento já apresentado dentro de campo. São capazes sim de representar o futebol pentacampeão do mundo pelos homens, com a mesma qualidade e condições de conquistar títulos.

Em tempo: Nos textos acimas contamos com a colaboração da publicitária Monaliza Oliveira que nos enviou o vídeo da treinadora e o comentário da atleta.

MENSAGEM

“O sucesso é um professor perverso. Ele seduz as pessoas inteligentes e as faz pensar que jamais vão cair”. Bill Gates,

ESPECIALIZAÇÃO EM COMUNICAÇÃO

Uma boa dica para os coleguinhas da mídia que buscam novos horizontes. Na unidade Mossoró a Universidade Potiguar (UnP) abre a sua primeira turma para a pós-graduação com Especialização em Gestão da Comunicação Digital e Mídias Sociais. Tive acesso ao programa e posso afirmar que foi bem montado. No mais a própria coordenação da especialização traz uma qualificação extra por conta da sua dedicação em tudo que faz. Estou falando da professora Kelly de quem conheço o trabalho quando coordenava a pós na área de Direito. Aviso a professora que já tem gente querendo saber se vai continuar apenas presencial ou existe a possibilidade de online no futuro. Realmente essa especialização cai bem no mercado atual para o setor.

NÃO DISSE NADA

Perder tempo com discurso de palanque não resolve o problema. Ficar repetindo que o problema do governo atual foi gerado pelo governante do passado é falar e não dizer nada, tanto faz bater na cabeça ou debaixo do chapéu. O que se pretende saber é o que será ou vem sendo feito para que as coisas entrem nos eixos. Estou falando do Rio Grande do Norte, mas serve para os demais estados e o próprio país. Acontece que um membro da secretaria de Planejamento e Finanças do Rio Grande do Norte, a SEPLAN, segue usando seu tempo para repetir esse discurso na clara tentativa de justificar a crise que segue no comando do executivo potiguar. Vamos lembrar que a campanha acabou e, nela, era dito que a proposta da sua candidata era melhor para o RN e o povo, em sua maioria, embarcou nessa. Agora estamos todos nós, eleitores ou não do governo atual, torcendo que acerte e a economia se fortalece e o emprego volte e, aqueles que tem o emprego, como é o caso do servidor público estadual, possa trabalhar e receber ao final do mês, sem atraso.

A REFORMA DA PRAÇA

Tratando agora de uma questão bem particular para os mossoroenses eu perguntaria: Não tem como pisar um pouco no acelerador da reforma da Praça Vigário Antônio Joaquim, ali na área da catedral de Santa Luzia, Câmara Municipal, Banco do Brasil e Teatro Lauro Monte? Parece até minha pessoa dirigindo, lento e quase parado. Um setor de fluxo intenso de motos, carros e pessoas. Literalmente nos dois sentidos. Gente, o negócio é sério, eu fico olhando de um determinado local com visão geral da obra e a coisa é lenta mesmo. Já se passou uma festa de Santa Lucia, por exemplo, e outra se aproxima e ninguém observa movimento no sentido de conclusão para o espaço voltar a ser utilizado pela população sem transtornos. E tem mais, não existe nada de diferente da estrutura anterior que justifique tamanha demora. Acelera prefeita.

ARTIGO 5º da CONSTITUIÇÃO 88

“Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade […]”.

Destacamos hoje dois incisos:

X –  são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;

XI –  a casa é asilo inviolável do indivíduo, ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador, salvo em caso de flagrante delito ou desastre, ou para prestar socorro, ou, durante o dia, por determinação judicial.

Se ligue!

Notícias semelhantes