O candidato, a malícia e o voto útil

Não estamos nem na metade da eleição e o candidato Allyson Bezerra, do Solidariedade (SDD) já está defendendo o voto útil. Sua militância digital tem pregado com muita força essa modalidade de (não) escolha. Após divulgar pesquisas que o colocam em segundo lugar, o candidato tenciona agora tornar os demais candidatos invisíveis, e buscar atrair o eleitor que não vota em Rosalba Ciarlini, do Partido Progressistas (PP) de jeito nenhum. O voto útil funciona da seguinte forma: se o candidato que o eleitor tem preferência não aparece com chances de vencer a eleição, ele opta por por outro que tenha possibilidades de vencer, derrotando aquele que ele não quer que ganhe de forma alguma. Por isso digo que o voto útil é uma não escolha, porque não se vota por afinidade política, ideológica ou por propostas. Se vota apenas para que o outro não ganhe. O voto útil fez com que parte do eleitorado brasileiro contribuísse para a eleição de uma das maiores excrescências política: o presidente Bolsonaro (sem partido). Com o antipetismo em voga, muitos enveredaram pelo capitão para evitar que Fernando Haddad ganhasse (Partido dos Trabalhadores). No final, quem perdeu foi o Brasil. O resultado estamos vendo. A defesa do voto útil, ainda no início da campanha, é de uma malícia gigante

 

CASO ROBINHO

Tem ganho repercussão o episódio envolvendo a contratação do atacante Robinho pelo Santos. Tudo porque o jogador foi condenado por estupro, na Itália. Por força da pressão popular, sobretudo nas redes sociais, o clube anunciou a suspensão da contratação. Lembrando: em 2019, quando jogava na Inglaterra, Robinho também foi acusado pela suposta prática de crime sexual.

CASO ROBINHO II

Ao invés de provar a inocência, Robinho insiste num enredo desgastado, previsível e quase uma confissão de culpa: diz que estar sendo perseguido e usa a Bíblia como escudo para as práticas ilegais das quais é acusado. Típico dos sem caráter.

 

CUIDADOS COM A NET

Um exemplo de como as coisas podem sair deturpadas na internet quando são compartilhadas sem critérios e cuidados. O jornalista Thubay Rodrigues fez uma análise, em sua conta no Facebook da live do deputado Allyson Bezerra (SDD). O texto está sendo compartilhado em alguns grupos de whatsapp com sua autoria sendo atribuída ao médico Marcelo Duarte.

 

PESQUISA CONTESTADA

Ainda sobre a pesquisa do Instituto AgoraSei/Difusora: pelo menos 3 pessoas citaram o nome de um candidato a vereador. O citado nome não estava na lista impressa em poder do entrevistador. Esse, no entanto, alertou aos entrevistados que a intenção deles seria registrada sem problemas. Divulgada a pesquisa, o nome do candidato não apareceu entre os citados. Para o leitor ir percebendo como foi a logística da pesquisa.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...