Ninguém é feliz todo dia

Assistindo a uma pregação do padre Adriano Zandoná, no programa Sorrindo Pra Vida, da Canção Nova ( https://www.youtube.com/watch?v=g9gaPDbjEBw ) desta quarta-feira, uma observação feita pelo sacerdote me chamou bastante atenção. Disse o padre que uma das grandes dificuldades das pessoas hoje em dia é aceitar que não é possível ser feliz todo dia. Eu acrescentaria, e o dia todo.

Zandoná ressalta que enquanto na apresentação pública nas redes sociais as pessoas buscam demonstrar que vivem uma vida perfeita, sem problemas, na realidade, o que se verifica em muitos casos é exatamente o contrário.

O que percebemos, tanto pelo que o padre relata quanto pelo que percebemos no dia a dia é que aumenta diariamente o número de pessoas que vivem vida dupla: uma nas redes sociais e outra na vida real. Essa necessidade de se mostrar melhor, mais saudável, mais rico, mais bonito, parece querer esconder uma questão que é muito nossa, de ser humano: a nossa vulnerabilidade.

Somos vulneráveis às doenças, às intempéries da natureza, às oscilações da economia, às insensibilidades humanas. Mas temos dificuldade em admiti-las, como se isso nos tornasse menores, menos importantes, menos sociáveis. Infelizmente, ocorre justamente o inverso.

Quando buscamos aparentar uma vida que não corresponde a que realmente vivemos, nos afastamos de nós mesmos, de nossa verdade. Mais que isso, esquecemos que somente vivendo dificuldades é que nos preparamos para superá-las à medida que vão se tornando mais complicadas.

Se a postagem que fazemos se torna mais importante que os bons momentos realmente vividos, que as pequenas sensações experimentadas, e, também e especialmente, que os grandes obstáculos enfrentados (nem sempre superados), que as grandes batalhas postas (às vezes nem vencidas), torna esses tais momentos de felicidade voláteis. Daí a necessidade de uma nova postagem, de um novo clique, de uma nova curtida. É preciso que reflitamos sobre o que nos disse Padre Antônio Vieira: “não há alegria tão privilegiada nesse mundo que não pague pensão à tristeza”. Sem enfrentarmos de frente as dificuldades e sem conseguir digerir os pequenos – e talvez até grandes – reveses, nunca teremos felicidade duradoura. Muito menos diária.

BOM EXEMPLO

Elogiável a postura da prefeitura de Touros no trato com as informações referentes à pandemia da Covid-19 na cidade. Em suas redes sociais, a prefeitura apresenta total de casos, quantidade por bairros, além de outros pormenores da situação epidemiológica. Quando se age com transparência, a possibilidade de que a população apoie as medidas mais duras é bem maior.

NÚMERO DE RECUPERADOS

O Rio Grande do Norte tem 2.035 pessoas recuperadas da Covid-19. O dado consta do Boletim Epidemiológico divulgado hoje pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap/RN).

ACERTA O ESTADO

Acertada a decisão do Governo do Estado de não colocar em prática agora o plano de reabertura das atividades econômicas. Casos confirmados aumentando, número de mortos em alta, leitos totalmente ocupados: cenário totalmente desfavorável. Acerta a governadora Fátima Bezerra.

ACERTA A PREFEITURA

Também foi acerto da prefeita Rosalba Ciarlini em não reabrir o que ainda está fechado. Em ambos os casos, urge que se institua fiscalização rígida para que haja respeito ao isolamento social, sem o qual os maus indicadores da pandemia não arrefecerão. Sem que esses dados diminuam, impossível reabrir o comércio totalmente.

 

PODEM AGUARDAR

Não foi apenas porque chamou os ministros do STF de vagabundos que o ex-ministro Abraham Weintraub fugiu na calada da noite do Brasil. As evidências começam a mostrar que o esquema do advogado Frederick Wassef com o governo federal estava centrado no Ministério da Educação.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...