Coronavírus

Natal abre cadastro de idosos acamados para vacinação contra Covid-19

O cadastro é direcionado as pessoas com 60 anos ou mais e que permanecem acamadas por períodos curtos ou longos

Em uma parceria com pesquisadores da UFRN, Natal abriu um sistema de cadastramento para a vacinação de pessoas idosas acamadas contra Covid-19 na capital.

O cadastro é direcionado as pessoas com 60 anos ou mais e que permanecem acamadas por períodos curtos ou longos, por motivos doenças crônicas, idade avançada, deficiência, dentre outros, além de precisarem de ajuda diária de cuidadores.

O cadastramento é uma ação conjunta do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) da UFRN, do Instituto Envelhecer, e da Secretaria Municipal de Saúde de Natal. Para fazer o cadastramento, acessar o a plataforma online (aqui).

Em reunião nesta quarta-feira (3), as autoridades de saúde do estado definiram que os idosos terão prioridade com a chegada de novas remessas previstas para os próximos dias no estado. Dentro do grupo prioritário, os acamados deverão ser imunizados primeiro.

Segundo a UFRN, semelhante ao cadastro de idosos que moram em condomínios, a nova modalidade de tem objetivo de dar suporte ao planejamento do plano de vacinação dos idosos contra a covid-19, efetivando a vacinação com uma menor exposição.

“Essa modalidade é fundamental porque teremos uma noção exata da localização da residência dos idosos acamados no município de Natal, aumentando a capacidade de vaciná-los no menor tempo possível e protegendo-os “, explicou o coordenador do Instituto Envelhecer, da UFRN, Kênio Lima.

Ao acessar o link, o responsável pelo idoso, deve primeiro realizar o seu cadastro para que em seguida possa informar as seguintes informações da pessoa idosa: CPF, endereço completo, doença de base que levou à pessoa a ficar acamada, comorbidades e também os cuidadores.

De acordo com Pablo Holanda, pesquisador do LAIS e responsável pelo sistema, todas as informações serão utilizadas pelas equipes de saúde na gestão dos atendimentos e planejamento das rotas de vacinação. “A meta é atender a todos que tiverem necessidade, sem ter restrição da quantidade de idosos por endereço cadastrado”, ressaltou o pesquisador.

*Com informações do G1 RN

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...