Saúde

Médico faz apelo a doadores de sangue

Hematologista André Aleixo relata que estoque do Hemocentro pode zerar porque doações caíram

O médico André Aleixo Hipólito, hematologista e hemoterapeuta, vem utilizando as redes sociais para sensibilizar as pessoas para a importância de fazerem a doação de sangue.

De acordo com André Aleixo, as doações tem caído muito nesses tempos de pandemia, mas as demandas continuam e em breve é possível que não haja estoque de sangue de alguns tipos.

O hematologista encaminhou uma mensagem aos colegas médicos na expectativa que ela chegue ao maior número de pessoas possíveis e para que os profissionais sensibilizem seus pacientes sobre a questão, de forma a que estes consigam o maior número possível de doadores.

Bom dia, nobres colegas médicos!

Sou médico hematologista do hemocentro de Mossoró e estou utilizando esse meio de comunicação porque acredito que assim eu possa levar a mensagem para o maior número de formadores de opinião que podem contribuir enormemente a esse chamado .

Durante os meses de março e abril, fizemos campanha por doação de sangue em todos os meios de comunicação e redes sociais.
Nosso banco de sangue, de uma maneira geral, recebe mais de 70% de suas doações de duas formas: reservas de cirurgias eletivas que não são utilizadas durante o procedimento e voltam ao Hemocentro; e grupos organizados (polícia, colégios, funcionários de empresas privadas grandes…), que mantém estoque médio de 7 dias de necessidade geral.
Com a pandemia, houve suspensão das cirurgias eletivas e diminuição da doação dos grupos organizados (como polícia, bombeiros, exército) pois estes estão na linha de frente do combate ao COVID-19.
Com isso, sobraram as doações espontâneas que são exatamente as pessoas que mais estão sofrendo com a crise (desemprego, isolamento, falta de transporte…) e devido a isso, houve redução nesse grupo.

Diante de toda essa situação, o estoque de sangue está quase zerado e há grande possibilidade de que em breve não tenhamos sangue (hemácias) dos principais subgrupos (O+,O-,A+,A-) para qualquer tipo de procedimento e qualquer tipo de paciente, sem distinção.
A forma que achamos mais rápida e eficiente foi pedir aos médicos que estão trabalhando no momento, para conversarem com os seus pacientes e estes conseguirem doadores, familiares/amigos, para readequar o estoque do Hemocentro .

Isso vale pelo fato de que esses pacientes clínicos ou cirúrgicos estão na iminência de necessitar de sangue e contudo há um maior risco de não ter nesse momento.

A única ressalva é para familiares e contactuantes de pacientes com COVID-19 que não devem doar neste momento.

Agradeço pela atenção e colaboração de todos!

André Aleixo Hipólito – Hematologista e Hemoterapeuta

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...