MATA-BURRO DO PREFEITO

E as boas chuvas não param de cair em Mossoró-RN e região, porém a falta de educação das pessoas, é bom que se diga, ajudam a criar transtornos após o lixo jogado na rua que acaba obstruindo a rede de esgotos. Com isso, ruas alagadas. Por outro lado, não importa quem fez a obra, a responsabilidade para resolver os problemas é do poder público, independentemente da pessoa que ocupa o cargo. Isso posto, a questão aqui diz respeito a drenagem em torno da Cobal que, tomando como base as últimas chuvas, não funciona.

A obra inclusive foi anunciada como redentora. Em resumo, até o momento só serve de mata-burro, como denunciaram alguns carroceiros no período de seu início, devido ao seu formato que não permite a passagem dos animais. Eles inclusive buscaram a imprensa e chamaram de “mata-burro do prefeito”. Não creio que o chefe do executivo tinha essa intenção, porém se o objetivo era impedir alagamentos e melhorar a drenagem, também não funcionou.

EM TODAS AS PESQUISAS

Algumas cenas da política no Rio Grande do Norte precisam ser analisadas com mais atenção e destaque. Um bom exemplo são as pesquisas, única forma de começar a ter uma ideia do que pode acontecer no próximo pleito. E as últimas para o governo do RN tem apontado um detalhe interessante. Mesmo não se apresentando como pré-candidato, o nome do senador Styvenson Valetim aparece em todas as pesquisas e, o mais intrigante, entre os primeiros colocados.

Observando a cena apenas como curioso, percebo que as oposições a forte candidatura da governadora Fátima Bezerra (PT) estão dando bobeira em não analisar melhor essa possibilidade. Se não existir o jogo da vaidade, do tipo, “o candidato sou eu e não tem conversa”, creio que ainda é preciso analisar melhor o quadro em relação ao embate e, quem tem melhores chances contra a atual ocupante da governadoria potiguar. Reforçando, essa é uma observação apenas de um curioso que não tem nenhum envolvimento com partidos ou político de estimação. Conclusão após conversas com amigos que vivem melhor e mais intensamente a política potiguar.

TIBAU, NOVOS RUMOS

Na proporção em que os meses passam e nos aproximamos do período eleitoral, aquele da caça ao voto, o desenho das composições vai tomando forma. Na cidade de Tibau-RN um grupo que se apresenta como oposição ao governo municipal que na eleição passada apoiou, dando quase 600 votos ao deputado federal Beto Rosado, esse ano resolveu fechar com o novato Ivanilson Oliveira, pré-candidato a deputado estadual. Beto resolveu se aliar a prefeito Lidiane Marques (PSDB) adversária do grupo.

O grupo de oposição em Tibau, que tem como um dos seus líderes o ex-prefeito do município Nilo Nolasco, vem se reunindo para fechar em torno do mesmo nome, sem dividir a luta local. Além do estadual, a oposição tibauense também deverá compor com o mesmo federal. Vamos buscar novas informações e, quem sabe, já na próxima coluna tenhamos essas definições. Nos bastidores a movimentação é intensa em todos os lados. A base de trabalho do pré-candidato a deputado estadual Ivanilson Oliveira é a cidade de Baraúnas, com apoio da prefeita do município, Maria Divanize (PSD).

CRIMES DE GUERRA

Em tempos lamentáveis de mais uma guerra sangrenta, é até uma agressão ao respeito à vida humana falar em “crimes de guerra”. A própria guerra já seria o crime. Falar em acusação e um possível julgamento de pessoas sobre “crimes de guerra”, é fortalecer a ideia absurda de que existem regras para se promover esse tipo de conflito extremo, ou seja, autorização legal para matar, principalmente sem motivo como é o caso envolvendo a invasão da Ucrânia pela Rússia. Apesar de todos os argumentos.

Um desses argumentos, é a aproximação da OTAN do território russo, quebrando acordo, mantenha suas forças armadas de prontidão para cumprir a missão de defesa. Sim, essa seria a principal razão de manter as forças armadas, defender o seu território e não invadir o vizinho. Esse deveria ser o propósito dessa existência, a defesa do território. O absurdo da guerra é que deveria ser evitado, e não criar regras para punir os tais crimes de guerra. A guerra é o crime maior.

VACINA FEBRE AFTOSA

O trabalho de vacinação contra a febre aftosa em bovinos do município realizado pela parceria entre a Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (SEADRU) da Prefeitura de Mossoró e a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) vem sendo concluída com sucesso. Essa é a avaliação prévia do próprio secretário de Agricultura, Faviano Moreira, em matéria publicada no site oficial da prefeitura.

Na última semana foi realizado um trabalho denominado de repescagem, buscando aqueles animais que não foram vacinados, por algum motivo, na data agendada. Ao todo a campanha deverá alcançar 5 mil bovinos beneficiando criadores com no máximo 25 cabeças de gado. A campanha de vacinação contra febre aftosa tem como meta, ao seu final, atender 600 produtores familiares em 120 comunidades rurais. Excelente notícia, quanto mais bovinos vacinados melhores serão as condições de comercialização.

MOSSOROENSES NA SEGUNDONA

Um cuida do seu campo de treino e o outro já desenha o trabalho de “garimpagem” de novos jogadores, o famoso “peneirão”. A conversa agora é sobre futebol e as preparações do Mossoró Esporte Clube, o “MEC”, e o time do Baraúnas rumo ao Campeonato Potiguar da Série B. Enfim, são apenas os primeiros passos de uma esperança que se renova.

Os dois times que já figuraram na elite do futebol no Rio Grande do Norte, hoje tentam deixar a segunda divisão. Porém, para que isso aconteça, é preciso conquistar o título de campeão, por enquanto, única forma de voltar. A diretoria do tricolor até tenta, junto a Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF) a inclusão do vice-campeão. Mas, no momento, os dois devem trabalhar para montar um bom elenco é pensar na conquista do campeonato e retorno garantido a elite.

 

MENSAGEM

“Nada é tão lamentável e nocivo como antecipar desgraças”. Sêneca

 

RACISMO NOS ESTÁDIOS

Os recentes e frequentes atos classificados como crime de racismo contra pessoas negras nos estádios de futebol tem fomentado o debate, principalmente no item ligado a punição dos responsáveis. Infelizmente, assim como em outros tipos de violência, paga-se fiança, não fica preso e faz tudo outra vez. No futebol o sujeito é flagrado cometendo esse crime e o punido acaba sendo o clube.

Nas disputas da Libertadores e Sul-Americana várias cenas foram registradas e a Conmebol pressionada para se manifestar. A entidade acaba de anunciar punição ao time argentino do Boca Júnior, enquanto o racista permanece impune. E, um deles, com as bênçãos do consolado argentino no Brasil que pagou a fiança. Algo precisa mudar urgentemente, caso contrário, falsos torcedores vão continuar invadindo e tirando a paz e a beleza do futebol.

CACROLÂNDIA, CHOVENDO NO MOLHADO

Parece até a briga do gato e o rato, não acaba nunca. Estilo, desenho animado “Tom e Jerry”, no caso do tema em foco, sem a menor diversão, pelo contrário, envolve muito sofrimento e crimes. Como diz o olho do texto, é chover no molhado a forma de combate a chamada “Cracolândia” em São Paulo. Espaços ocupados por moradores de rua para uso e venda de drogas e a prática de furtos e roubos.

Como nos mostram as cenas do noticiário nacional, a polícia faz seu trabalho retirando os grupos de determinados locais da capital paulista e, logo em seguida, todos se aglomeram em outro espaço levando pânico a população em suas moradias ou deslocamento para o trabalho. É preciso prensar em políticas públicas eficientes para esse combate, e não apenas a repressão policial. Essa sim, pode ser eficaz no combate e prisão de traficantes, porém não é sua missão gerar tratamento e ocupação para aqueles que hoje são viciados. No atual formato de combate, até os traficantes, embora alguns presos, parecem mais organizados

A VELA QUE ACENDEU A LUZ

Diferente do julgamento de alguns, claro, com seus motivos bem aparentes, o protesto dos três vereadores de Mossoró contra a escuridão que reinava na Praça Cônego Estavam Dantas (Praça dos Hospitais), deu certo. Usando a luz de uma vela os edis Omar Nogueira (Patriota), Paulo Igor (Solidariedade) e Isaac da Casca (MDB), foram ao local no período da noite cobrar providências por parte da prefeitura e o caso foi resolvido rapidamente.

Agora o ato ficou conhecido, e assim eu defino, como “A vela que acendeu a luz”. Sim, foi depois dessa pressão que as autoridades do município resolveram agir, deram suas explicações, convencendo ou não, porém fazendo aquilo que se pretendia, retornar com a iluminação artificial. Essa é a essência da missão do vereador, qual seja, fiscalizar e, detectado o problema encontrar a solução.

DICA LEGAL – DIREITO À SAÚDE

Já estamos vivendo mais um ano de eleição e uma bandeira que sempre aparece nos discursos dos candidatos é a questão da saúde, entre outros, tais como educação e segurança. Vamos lembrar que o Direito à Saúde já é previsto na Constituição Federal de 1988, que na sequência recebe o reforço com a criação do Sistema Único de Saúde (SUS).

O artigo da CF/88 que trata do tema é o 196. Ele diz que a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. Por sua vez o Sistema foi criado pela Lei 8080/1990 que desde então levou a uma trajetória de muito esforço e desafios enfrentados, diariamente, para proporcionar e garantir o direito universal à saúde como dever do Estado.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support