Luz para fim do impasse

A audiência convocada pelo Ministério Público para amanhã, (16/4), entre representantes da prefeitura e dos professores da rede municipal, pode determinar o caminho para o fim da greve dos docentes, iniciada em 8 de março.

Se a prefeita Rosalba Ciarlini enviar representantes (não é impossível que ela não o faça, considerando sua postura até agora) as chances de que as partes cheguem a um acordo são grandes.

Primeiro porque a prefeita tem atendido a algumas das reivindicações, mesmo a conta gotas e sem tratar com o sindicato dos trabalhadores sobre isso (talvez uma forma de dizer que não cedeu á pressão dos grevistas).

Segundo, porque a diferença do reajuste salarial que não foi atendida é muito pequena (0.42, o que parece não ter sido concedido por pura pirraça). Por fim, porque já são quase 40 dias sem aulas (nessas circunstâncias, uma greve dessa natureza perde fôlego).

Por tudo que está dito, a possibilidade de fim da greve só será afastada em duas ocasiões: primeiro se a prefeitura não enviar representante. Segundo, se, mesmo com a intermediação do MP, as partes seguirem com os ânimos inflamados, situação que não traz ganhos para ninguém.

Reajuste em Baraúna
Após muita luta, o funcionalismo público de Baraúna conseguiu reajuste salarial. Para os professores, foi conseguido o percentual do Piso (3,75%). Para as demais categorias, 6%. Para o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Baraúna (SINDISERB), os índices ficaram abaixo do que se esperava, mas foi o possível diante das circunstâncias. Para os docentes, o pretendido era 18.62%, já que há 3 anos que a prefeitura não concedia o reajuste do Piso do Magistério. Para os demais servidores, por 16,08%, também porque eles estavam há três anos sem nenhuma reposição salarial.

Democracia da Rosa
Em 11 de março, o deputado estadual Alysson Bezerra (Solidariedade) protocolou ofício junto à prefeitura colocando o mandato à disposição da luta por demandas do município e solicitando audiência com a prefeita. Tem sido ignorado.

Queiroz
Está mais do que evidente que o Queiroz acumulava as atividades de chefe de milícia com a de chefe de RH da família Bolsonaro. A propósito, onde andará o Queiroz?

Coincidências?
Aliás, é incrível como a família Bolsonaro tem facilidade para coincidências e para se envolver com gente suspeita.

Falta de respeito
Com todo respeito, mas o presidente não pode obrigar a que todos professem a mesma religião que ele. Incrível como cada (má) decisão sua é baseada na sua concepção de religiosidade. É no mínimo uma falta de respeito a quem pratica religião diferente da do presidente.

Sem expediente
O Governo do Estado divulgou decreto estabelecendo ponto facultativo na próxima quinta-feira, (18/4). Na sexta, é feriado nacional. As repartições públicas estaduais funcionam somente até quarta, retornando na segunda-feira, (22/4). Permanecem os serviços essenciais.

Pequeno alívio
A Prime, empresa que presta serviços à Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) quitou nesta segunda-feira, (15/4), uma das duas folhas em atraso com seus funcionários. Pequeno alívio, pois daqui a pouco se completa mais uma folha em aberto. A Prime tem se especializado em deixar os seus servidores com atrasos de mais de 60 dias.

Notícias semelhantes