Fuga e covardia

O prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB) não participou do primeiro debate com os candidatos a prefeito da cidade. Na frente nas pesquisas eleitorais, preferiu não discutir os problemas do município. Para os demais concorrentes, Álvaro fugiu.

Não satisfeito em ter se recusado a participar de um importante momento da campanha municipal, Álvaro Dias optou por utilizar o programa eleitoral gratuito no rádio e TV para propagar mentiras. Com maior tempo para o programa, Álvaro não apresentou uma proposta sequer. Ao invés disso, fez questão de dizer que combateu de forma espetacular a pandemia da covid e, bem ao estilo dos negacionistas fujões, teceu loas à ivermectina. Só faltou citar a cloroquina. Ademais, por gesto de covardia, fez acusações falsas contra o Governo do Estado. Parece que a alcunha de “prefake”, atribuída a Álvaro, não é apenas por questões eleitorais.

DELEGADO LEOCÁDIO

Candidato a prefeito de Natal pelo PSL, o delegado Leocádio não parece estar numa disputa eleitoral. Tem-se a forte sensação de que ele participa de uma operação de segurança. Seu programa, no horário eleitoral gratuito, é pura tensão;

PROGRAMAS EM MOSSORÓ

Os candidatos à prefeitura de Mossoró usaram o primeiro dia de programa para se apresentar. Alguns deram ênfase ao candidato a vice-prefeito. Nada de acusações infundadas. Pelo menos por enquanto. Bom assim.

GRANDE PROBLEMA

Uma dívida de R$ 20 milhões com fornecedores é o grande problema da Unimed. Esse passivo tem feito com que haja uma forte debandada de médicos, clínicas e laboratórios. Muita gente e empresas se descredenciando da operadora. Os profissionais temem que a dívida chegue a eles também.

CORRUPÇÃO BOLSONARISTA

O presidente Bolsonaro disse que acabou com a Lavato (e a operação era um órgão do governo?) porque não há mais corrupção no governo. Essa declaração é uma cuspida na cara do povo brasileiro. Pesam contra ele e seus filhos denúncias de: rachadinha, funcionários-fantasmas, desvio de dinheiro (a vebra doada para a covid que ele mandou para a primeira-dama), interferência política no trabalho da Polícia Federal, vazamento de informações de operações importantes.

 

OUTROS CRIMES

Além disso, ainda pesam suspeitas de disseminação de fake news e participação no assassinato de Mariele Franco.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...