Fornecimento

Estoque de insulina deve ser reabastecido até próxima semana em Mossoró

A Secretaria Municipal de Saúde já iniciou o processo de compra com uma empresa habilitada e, tão logo o processo seja concluído, os medicamentos serão distribuídos para os pacientes com diabetes, cadastrados na Farmácia Central.

Em razão da urgência da necessidade de reabastecimento de insulina nas unidades de saúde, a Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM) irá adquirir o produto com dispensa de licitação. Com a compra direta, a previsão é que o processo seja concluído até a próxima semana.

Na última licitação, realizada no dia 3 de maio, na modalidade de pregão, nenhuma empresa se habilitou em oferecer preço, e o processo foi considerado deserto. Este é mais um motivo que se justifica a dispensa de licitação.

Para a compra direta de insulina do tipo Lantus e Humalog, serão investidos R$ 4,817 milhões. A Secretaria Municipal de Saúde já iniciou o processo de compra com uma empresa habilitada, e tão logo o processo seja concluído, os medicamentos serão distribuídos para os pacientes com diabetes, cadastrados na Farmácia Central.

Além da compra das insulinas, a Secretaria Municipal de Saúde ainda está trabalhando para resolver a questão de um débito de R$ 250 mil com a empresa Lilly, distribuidora de insulina, deixada pela gestão anterior. O débito está em aberto desde 2015.

“Estamos trabalhando para garantir o fornecimento de insulina, pagar os débitos deixados pela gestão anterior e reorganizar os problemas que encontramos na saúde. Não é uma tarefa fácil, mas estamos conseguindo apresentar resultados”, disse a prefeita Rosalba Ciarlini, durante a solenidade de abertura do Ambulatório Materno Infantil (AMI), na manhã desta quinta-feira, 11.

O secretário municipal de Saúde, Benjamin Bento, reforça o empenho para reabastecer o estoque de insulinas e assegurar a continuidade da distribuição do medicamento. “Sabemos o quanto as pessoas com diabetes necessitam da insulina, por isso estamos nos empenhando ao máximo para resolver esse problema o mais rápido possível”, declara.

Secom/PMM

Notícias semelhantes