Estado precisa dar resposta

Não é novidade que o avanço da violência é um dos grandes problemas – quem sabe o maior – enfrentados pela população brasileira. Parece claro que é um problema que cresce na proporção inversa da ação estatal que o iniba.

A atuação de grupos criminosos se efetivou com muita eficiência nas áreas periféricas das grandes cidades onde a omissão do estado na oferta de políticas públicas é maior. Paulatinamente, a criminalidade foi ganhando espaços. Subiu e desceu morros. Se estabeleceu na favela, mas passou a fazer morada também em condomínios. Galgou postos de comando na política. A expressão milícia virou lugar comum no cotidiano os lugares. E tudo o que de mais cruel se verificava na escalada da violência nas grandes cidades virou rotina também nos pequenos municípios.

O anúncio feito pela Polícia Federal de que as facções criminosas que atuam no Rio Grande do Norte pretendem fazer uma grande baderna é um sinal claro de como o Estado precisa dar resposta clara, contundente e legal, não só a essa ameaça, mas ao avanço dessa criminalidade. Há tempos que o crime tem ganho da civilidade. É preciso dar um basta nisso. Pra começar, é importante não continuar perdendo de goleada.

Liderança
O ministro Dias Toffoli é o líder do governo Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF)? Em tempo: Toffoli é o atual presidente daquela Corte.

Pouca visibilidade
Hoje se comemora o Dia Mundial sem Tabaco, iniciativa que visa alertar para os perigos do tabagismo. Pela primeira vez, nos últimos 10 anos, vi pouca – ou quase nenhuma – ação publicitária do governo federal para lembrar a data e conscientizar sobre os riscos que o tabaco traz.

Encontro petista
O PT promove neste sábado, em Mossoró, encontro do seu Polo Oeste. Será a partir das 9h, na nova sede da agremiação, localizada à rua Juvenal Lamartine, em frente ao Memorial da Resistência. Política e cultura darão o tom do evento. Também haverá a inauguração do Comitê Lula Livre.

Sem imposto
Passou quase despercebido em Mossoró o Dia Livre de Imposto, ocorrido ontem. Poucas lojas aderiram. A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) precisa articular melhor a campanha e sobretudo investir em sua divulgação.

Economia em baixa
Já são visíveis os sinais de crise no cotidiano dos mossoroenses. O comércio informal sente os efeitos da falta de circulação de dinheiro e as lojas do Centro também tem vendido pouco.

Dinheiro na conta
Causou surpresa o fato de a prefeitura de Mossoró ter feito ontem o pagamento do salário do mês de maio. A administração municipal vinha pagando sempre na segunda parte do último dia útil do mês.

Verde-oliva
E o governo do miliciano está cada vez mais militarizado. Já são 100 os membros das forças armadas na gestão Bolsonaro. Interessante pensar como é a convivência entre os membros desses dois grupos.

 

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...