Combate à violência

Denúncia pode salvar vítimas de abusos sexuais

Núcleo de pesquisa da Uern reforça a importância de denunciar como importante arma de combate à violências

Denunciar, combater, não tolerar. Palavras de ordem que marcam o dia de hoje, 18 de maio, Dia Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Uma data criada a partir de um crime hediondo ocorrido aqui no Brasil, que vitimou uma menina de apenas 8 anos de idade, abusada sexualmente e depois assassinada.

O caso aconteceu na cidade de Vitória, Espírito Santo, no dia 18 de maio de 1973. A vítima, a menina Araceli Cabrera Sánchez Crespo, representa muitas outras crianças e adolescentes, vítimas deste tipo de crime no Brasil, em muitos casos sem denúncia e sem punição aos agressores ou agressoras.

Em Mossoró, desde o dia 8 deste mês, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Juventude (SMDSJ), está desenvolvendo inúmeras ações de conscientização em pontos diferenciados da cidade. Segundo a secretária Janaína Holanda, todas as ações visam incentivar a população a denunciar casos de abusos sexuais contra crianças e adolescentes.

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Estudos e Ações Integradas na Área da Criança e do Adolescente (NECRIA/UERN, professora Gláucia Russo, a violência contra a criança e o adolescente é muito mais ampla do que nós podemos imaginar. “A violência sexual é a que mais choca a sociedade porque invade o corpo e a intimidade do ser humano. Se para um adulto sofrer esse tipo de violência provoca traumas, para uma criança ou adolescente, as consequências são ainda mais marcantes e graves”, declarou.

O NECRIA é ligado à Faculdade de Serviço Social (FASSO) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), é responsável por pesquisar casos de violências contra crianças e adolescentes. Para Gláucia, o combate à violência sexual contra crianças e adolescentes, deve ser permanente. Ela reforça a importância da denúncia como forma de combater este tipo de crime. “A denúncia é importante porque tira essa criança ou adolescente da situação de opressão, de violação de direitos. Então, a medida em que você denuncia, você tem a oportunidade de tirar a vítima de uma situação de agressão, de abuso. A denúncia consegue livrar a criança ou adolescente de uma vivência com aquilo que lhe fere, aquilo que lhe é mais íntimo que é o seu corpo e sua sexualidade”, reforçou.

A coordenadora do NECRIA ressalta ainda outro importante ponto da denúncia. Segundo Gláucia, quando se denuncia casos de abusos sexual contra crianças e adolescentes, torna público a presença de um agressor ou agressora, significa que a sociedade não aceita esse tipo de violência. “Quando a sociedade denuncia e deixa claro que não tolera esse tipo de violência o agressor ou agressora vai pensar duas vezes antes de cometer o crime”, acrescentou. Gláucia também reforça os canais de denúncias que podem ser utilizados pela população para denunciar este tipo de violência. Disk 100 (gratuito e anônimo) e ainda via Conselho Tutelar.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...