AFLAM EM PAUTA

Maria Gomes de Oliveira competência,

amor ao trabalho e à terra natal

 

    Maria Gomes de Oliveira

Ao concluir o Curso Superior de Serviço Social, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte-UFRN, tudo indicava que iria permanecer na Capital Potiguar, pois havia conquistado uma vaga para trabalhar, como Assistente Social, no Instituto Nacional de Desenvolvimento Agrário-INDA.

Contudo, uma semana antes de me fazer presente, como funcionária do INDA, chegava à Residência Universitária de Natal-RN, meu ex-professor João Batista Cascudo Rodrigues, atual Reitor da recém-instalada Universidade Regional do Rio Grande do Norte-URRN, convidando-me para assumir o cargo de Vice-diretora da Faculdade de Serviço Social de Mossoró, lecionar Pesquisa Social nas Faculdades de Serviço Social (FASSO), Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras (FAFIC) e Pesquisa Mercadológica, na Faculdade de Ciências Econômica de Mossoró (FACEM).

Quinze dias depois estava eu em Mossoró-RN, na Reitoria da URRN, ao lado do Magnífico Reitor João Batista Cascudo Rodrigues e da fundadora e primeira Diretora da Faculdade de Serviço Social, Maria Gomes de Oliveira, que me abraçou com elevada cordialidade, dizendo-me: “Seja bem-vinda, Vice-diretora da FASSO, Assistente Social Maria do Socorro Cavalcanti. Vamos à luta, pois segundo nosso magnífico Reitor, você é dinâmica, responsável e tem capacidade para ser Vice-Diretora da nossa Faculdade”. Ratificando tais palavras, o Reitor desejou sucesso para o nosso caminhar e pediu licença para atender outras pessoas. Maria Gomes, então, me convidou para irmos à sede da FASSO que ficava próximo a Reitoria da URRN.

Não conhecia Maria Gomes de Oliveira. As informações e opiniões obtidas não eram suficientes e devidamente seguras para me levar à formulação de um conceito sobre ela.
Do próprio Reitor não obtive as informações desejadas, disse-me apenas o que julgava necessário: “vocês vão se entender e produzir o melhor, pois amam Mossoró, gostam de trabalhar e são responsáveis”.

Ao chegarmos na FASSO, Maria Gomes iniciou suas palavras com um importante e abençoado convite: “Vamos dialogar, vamos nos preparar para atuarmos conjuntamente e obtermos sucesso”!

Continuando, falou-me com significativos detalhes sobre os objetivos da Faculdade de Serviço Social, a sua atual situação, os projetos traçados, e as perspectivas, pondo em evidência, o que certamente me caberia assumir como Vice-diretora.

Com relação as minhas sugestões e questionamentos, ela dava a devida atenção, mas não aceitava as sugestões tidas “não rentáveis”, e com argumentos condizentes, me convencia ao exercício da reflexão, para uma posterior resposta.

Através desse contato, percebi, com alegria, a firmeza do seu caráter, o amor ao trabalho e que entre nós havia uma forte empatia, um desejo de produzir firmado na fé, em Deus, em nós mesmos, no trabalho e no advir de um futuro promissor.

Percebi também ser ela um tanto sisuda, o que me levou, posteriormente, a interrogações, à busca do porquê. Somente com a convivência diária vim compreender a causa dessa contração facial, posta em foco por inúmeras pessoas. É que o trabalho para ela, Maria Gomes, era fator vital, daí priorizar seus objetivos e ideais, razão pela qual se conectava, se envolvia por inteiro na busca do agir certeiro, para assegurar o êxito. Só então, quando a vitória era proclamada, ela se descontraía, passava a sorrir, a brincar, era feliz e levava os outros a essa benéfica convivência.

Assim agindo, trabalhamos durante 6 anos buscando com fidelidade, o ajustamento dos nossos pontos de vista aos interesses do bem maior – o progresso da Faculdade de Serviço Social de Mossoró-RN, que era, por nós, muito amada.

Por viver exclusivamente com amor para o trabalho, Maria Gomes estava sempre incentivando quem “consciente da sua capacidade, buscava, com inteligência e responsabilidade, produzir mais e mais”.

Isso também pude comprovar às claras, inúmeras vezes, e principalmente, quando eu a procurei para falarmos sobre a indicação da minha pessoa (pelo Diretor da FACEM Francisco Canindé Alves), para coordenar o Centro de Estudos do Menor e da Comunidade – CEMIC, resultante do convênio da UERN com o UNICEF e a FUNABEM. Para tal, o resultado foi estimulante, recebi mais do que um sim, a concordância, os parabéns. Recebi o apoio firmado no compromisso de pôr à disposição, alunas da Faculdade de Serviço Social, para atuarem como estagiárias o que elevou, por demais, a qualidade dos trabalhos prestados às crianças, adolescentes e seus pais.

Assim procedia a Maria Gomes de Oliveira, como pessoa, como amiga, como Diretora da Faculdade de Serviço Social de Mossoró-RN, como Assistente Social, focada nas necessidades do ser humano, para com segurança, garantir o progresso da comunidade.

Mulher visivelmente inteligente, além do exercício da liderança, ela contava com suas ricas e diversificadas experiências vividas como fundadora e Diretora do SESI, do SENAI, Secretária de Educação da Prefeitura Municipal de Mossoró etc, para conduzir os integrantes da FASSO ao trabalho harmonioso e produtivo, o que lhe rendeu a obtenção de significativos elogios e homenagens, vindos das mais variadas Instituições e pessoas, dentre as quais destaco: – O Ministério da Educação, pela qualidade do ensino obtido na FASSO e o apoio dispensado ao Projeto Mobral; – O UNICEF, pelos serviços prestados ao Centro de Estudos do Menor e Integração da Comunidade-CEMIC (órgão suplementar da URRN), cujo trabalho era voltado para crianças, adolescentes e pais, para o qual contava com estagiárias da FASSO, e a supervisão de Assistentes Sociais, além do diligenciamento junto ao SESI e SENAI para obtenção do atendimento à clientela do CEMIC, voltado para a saúde, recreação e esporte;
– O Ministério da Indústria e do Comércio, pela dinamização em função do apoio a capacitação da mão de obra e da qualidade do produto básico da economia norte-rio-grandense, o sal. – O SESI e o SENAI, pelo reconhecimento dos trabalhos atinentes às parcerias em função da prestação de serviços direcionados aos campos de estágios da FASSO;
– A Marinha do Brasil, que em reconhecendo o valor do seu trabalho voltado para a Educação, homenageou-a como Amiga da Marinha do Brasil; – Fundação de Desenvolvimento do Vale do Apodi (FUNDEVAP), pela parceria com o Departamento de Ação Social da FURRN, que incluía a FASSO, cujo trabalho muito contribuiu para a conscientização da população dos 3 polos da região, localizados nas cidades de Assu, Pau dos Ferros e Apodi, vindo a ser criado no Vale do Apodi, uma área de produção agrícola que exportaria mais tarde, legumes e frutas para os mercados de Natal, Fortaleza e até para a Europa; – Fundação de Habitação Popular (FUNDAP), pelo importante trabalho de campo voltado para estágio/assessoramento ao Grupo de Mães do Conjunto Habitacional Monsenhor Walfredo Gurgel;
– A Prefeitura Municipal de Mossoró, pelo seu desempenho como Diretora da FASSO e pelas constantes parcerias em função da Educação e da Cultura Mossoroense; – A Fundação Universidade Regional do Rio Grande do Norte (FURRN), que orgulhosamente, destacava a FASSO com uma das suas melhores unidades; – Os professores e alunos da FASSO e da comunidade Mossoroense, pelas notáveis contribuições voltadas para as áreas: social, educacional, econômica e cultural.

Após 8 anos à frente da Faculdade de Serviço Social, dada a sua eficaz administração, Maria Gomes participou da lista tríplice sendo nomeada pelo Prefeito Antônio Rodrigues de Carvalho, para a Reitora da Universidade Regional do Rio Grande do Norte-URRN, no período 1973 a 1977.

Esse fato mereceu, por muito tempo, destaque na imprensa nacional por ter sido ela, a primeira mulher, no Brasil, nomeada Reitora de uma Universidade Pública.

Maria Gomes, assim como o primeiro Reitor da FURRN João Batista Cascudo Rodrigues, valorizavam o ser humano, a vida grupal e a comunidade. Por isso, acreditava na “… força da Educação, para a emancipação do homem, e na força de uma Universidade, para a emancipação de uma região”. Com essa macrovisão Maria Gomes deu continuidade ao trabalho da URRN, iniciado por seu antecessor João Batista Cascudo Rodrigues e, com muito empenho e dedicação, envolvendo os diretores das unidades e buscando o devido assessoramento, traçou o caminho e definiu metas para acelerar o processo de desenvolvimento da URRN, visando a interiorização, a expansão da sua atuação para o Oeste Potiguar, dando ênfase na formação de recursos humanos, produção de conhecimento sobre a região e a formulação de propostas para o desenvolvimento dessa região.

Para tanto, em junho de 1973, Maria Gomes, como Reitora, oficializou a criação da Pró-Reitoria de Extensão com a composição dos órgãos existentes: – Centro de Desenvolvimento Regional do Rio Grande do Norte-CENDERN, com o objetivo de prestar assistência técnica, voltada para as ações comunitárias e a extensão agroindustrial, ligadas às Prefeituras de Mossoró e da região Oestana; – Centro Rural Universitário de Treinamento e Ação Comunitária-CRUTAC, com o objetivo de desenvolver atividades sociais, educativas e culturais nas comunidades rurais; – Centro de Estudo do Menor e Integração da Comunidade-CEMIC, voltado para a integração da instituição escolar, a juventude e os estudantes, nos programas de desenvolvimento comum e de integração social das populações marginalizadas, com vistas à prevenção da marginalização do menor e família;

– Centro Experimental de Estudos e Pesquisas sobre o Sal-CEPS, voltado para a capacitação da mão de obra e da qualidade de um dos produtos básicos da economia norte-rio-grandense, o sal.

Em seguida, no mês de outubro de 1973 à Pró-Reitoria de Extensão da URRN foi incorporado o Projeto Rondon, voltado para a formação do jovem universitário como cidadão e para o desenvolvimento sustentável em comunidades pouco assistidas.

Com relação aos campis avançados implantados nos municípios de Assu e Pau dos Ferros foram oficializados na gestão da Reitora Maria Gomes, respectivamente, nos anos de 1974 e 1976, dando credibilidade ao seu caráter regional.

Desses dois campis eu, Socorro Cavalcanti, como coordenadora do CEMIC órgão vinculado à Pró-Reitoria de Extensão da URRN, participei apenas do campi do Assu-RN, onde juntamente com jovens e professores voluntários do CEMIC, coordenei encontros com jovens estudantes e dirigentes de instituições do município, ligados à Educação, saúde, segurança social, tendo em vista obtenção de parcerias direcionadas às ações para a população carente, com vistas à prevenção da marginalização do menor e família.

No início de 1974 devido o CEMIC de Mossoró-RN (órgão suplementar da URRN) ter sido classificado como modelo pelo UNICEF e FUNABEM, e essas instituições me convidado para em Recife-PE, na Superintendência Regional do Plano de Integração do Menor, coordenar a equipe de supervisores da Região Norte/Nordeste, procurei a Reitora Maria Gomes para falarmos sobre esses assuntos.

Dela ouvi palavras que expressavam alegria pela valorização do trabalho da UERRN, exercido pelo CEMIC e reconhecimento do meu empenho como coordenadora desse órgão vinculado à Pró-Reitoria de Extensão da Universidade.

Além do mais, ela aconselhou-me a aceitar o convite, dizendo ser proveitoso para minha pessoa e enriquecedor para as regiões Norte/Nordeste, principalmente, para Mossoró-RN.
Sugeriu que eu indicasse para o UNICEF e FUNABEM um nome de um dos voluntários para me substituir na coordenação do CEMIC que ela daria todo apoiou.
Assim agi, indicando Ednalva Couto e, com o aval da Reitora Maria Gomes, o UNICEF e FUNABEM aceitaram a proposta, tendo Ednalva Couto, com seu notável desempenho, respondido à altura do que esperávamos.

Ao me transferir para Recife-PE, acompanhei com satisfação, via supervisor, o CEMIC de Mossoró-RN que caminhava sempre e exemplarmente, alcançando significativo progresso, como órgão suplementar da Universidade Regional do Rio Grande do Norte, tendo como Reitora, Maria Gomes de Oliveira.

A ela, Maria Gomes de Oliveira, também devemos agradecer pelos relevantes serviços prestados, advindos de outros cargos assumidos em Mossoró e na capital Potiguar – Natal-RN: – Primeira Secretária de Educação do município de Mossoró-RN;
– Membro do corpo docente da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), do CRUTAC e Secretária de Educação de Natal-RN.

Portanto, nós, do Rio Grande do Norte, temos justificado orgulho dessa personalidade, Maria Gomes de Oliveira, Mossoroense de coração, que levada pelo acendrado amor pela terra, a realeza dos seus altos e nobres desígnios, produziu o melhor, se destacou na história, pela coragem, autoconfiança, honestidade e responsabilidade, passando, portanto, a compor a lista das BRAVAS MULHERES DO RIO GRANDE DO NORTE.

Lamentamos, contudo, não termos registrado nesse texto, muitos dos seus feitos e louvores, devido à escassez de registros atinentes a sua história de vida, quando na realidade ela cultivou, ensinou, orientou e promoveu o ser humano, engajando-o no processo de desenvolvimento socioeducacional, econômico e cultural.

Daí julgarmos indispensável a dedicação de pesquisadores voltados para o resgate dos seus feitos, visto tratar-se de uma mulher que, enquanto viveu, produziu com eficácia em todas as causas que abraçou, segundo ela, por ter priorizado o ser humano.

Acreditamos também que ela, Maria Gomes de Oliveira, ao ser convidada pelo Pai Celestial, alcançou o mais alto degrau da existência eterna, por ter, aqui na terra, cumprido com sua missão.

Seu falecimento deu-se no dia 1º de fevereiro de 2015, em Natal-RN, para onde se deslocou um número considerável de Mossoroenses, lamentando, com profundo pesar, a perda de Maria Gomes de Oliveira, mais uma mulher que se dedicou ao desenvolvimento integral da Terra de Santa Luzia – Mossoró-RN.

Fortaleza, 1º de novembro de 2019.


Socorro Cavalcanti é Mossoroense, radicada em Fortaleza-CE; professora universitária aposentada; pesquisadora; palestrante; escritora com 10 livros publicados, 4 lançados em Lisboa, 2 em Paris; sócia de 30 Entidades Literárias, 6 sediadas no exterior; Presidente de Honra da Academia Feminina de Letras e Artes Mossoroense; editora chefe das Revistas da Academia Feminina de Letras do Ceará, do Centro Cultural do Ceará e da Academia Feminina de Letras e Artes Mossoroense; tem textos publicados em 28 Revistas e Jornais; coautora de 44 coletâneas (14 internacionais, 6 bilíngue) e organizou 05, sendo uma bilíngue, CEARÁ EN SCÈNE, lançada em Paris;  conquistou 15 troféus; 09 medalhas; sendo 01 de ouro atinente ao 1º lugar do VII Concurso Literatura da Natureza;  recebeu 28 menções honrosas; placas da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará  e  do Rio Grande do Norte; foi Vice-Diretora da Faculdade de Serviço Social de Mossoró, por dois mandatos;  homenageada pela Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, com o seu nome na Sala da Pró-Reitoria de Extensão e recebeu Medalha Mérito Universitário da Faculdade de Serviço Social de Mossoró-RN.
Notícias semelhantes
Comentários
Loading...
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support