evento científico

50 anos da missão Apollo 11 vira tema de feira de ciências em escola estadual

O evento acontece no ginásio poliesportivo deputado Arnóbio Abreu, seguindo com programação aberta até a próxima sexta-feira (26). 

Hoje (23), tem início a quarta edição da Mostra Internacional, Científica e Cultural (Mocicult), realizada pela escola estadual Juscelino Kubitschek (EEJK), localizada no município de Assú. O evento científico tem por objetivo integrar professores e alunos em um ambiente que promova o intercâmbio de conhecimentos e estimule a popularização da Ciência entre os participantes. O evento acontece no ginásio poliesportivo deputado Arnóbio Abreu, seguindo com programação aberta até a próxima sexta-feira (26).

Nesta quarta edição, a Mostra traz como tema central “Onde a ciência pode te levar”, escolhido em alusão aos 50 anos do lançamento do Apollo 11, expedição espacial responsável por levar o homem à lua em 20 de julho de 1969.  Dentre as atividades promovidas pela Mocicult, têm-se oficinas e palestras, apresentações e avaliações de projetos, intervenções culturais, e a cerimônia de premiação dos melhores trabalhos expostos, que acontece no último dia do evento.

Em sua abertura, a Mostra conta com a participação do estudante Eduardo Farias, representante brasileiro da World International Fairs Associate (Wifa), associação internacional de feiras de Ciência. O convidado irá contar sua trajetória e pesquisas desenvolvidas em ambiente escolar, além de levar à Mocicult credencias para eventos científicos.

Organizado por professores, alunos e colaboradores voluntários, a Mostra recebe e expõe trabalhos resultantes das diversas áreas científicas, como Ciências da Natureza, Exatas, da Terra, Agrárias, Biológicas e Humanas. Além dos trabalhos apresentados pelos alunos da EEJK, o evento também hospeda produções oriundas de outros municípios do RN como Porto do Mangue e Mossoró, e estados, como Santa Catarina, Pernambuco e Ceará.

Expectativas

Professora da disciplina de Ciências da Natureza na EEJK, e uma das coordenadoras da Mostra, Udsoneide Castro explica que um dos objetivos do evento é difundir a prática científica entre os alunos da instituição e, para isso, espera-se que o evento atinja, a cada ano, um número maior de participantes.

“Nós esperamos para esse evento atingir nosso objetivo a cada ano, que é disseminar a cultura científica entre os jovens. Nessa edição em especial a gente espera atender um número maior de estudantes da nossa Escola e também esperamos que tenhamos um maior intercâmbio de cultura, de ciência dos nossos projetos internos e entre os externos”, declara a professora.

Já para a assessora pedagógica da EEJK, Cláudia Cezário, o evento trata-se de uma oportunidade para os estudantes terem acesso a iniciação científica, e estimular o interesse pela pesquisa e investigação.

“Considerando que uma feira de ciências não se resume a apresentação de um projeto e sim ao processo no qual ele (o aluno) está inserido, esperamos que os estudantes possam amadurecer enquanto cientistas, pesquisadores e principalmente, agentes ativos de transformação social. A cada ano nossa expectativa é de que através deste evento o estudante perceba o potencial que há nele e que acredite nos seus sonhos e no poder transformador que as atividades científicas promovem no protagonismo dele”, avalia Cláudia.

Notícias semelhantes