Vergonha no ar

Vergonha, para dizer o mínimo, a postura de apresentadores de um programa de rádio de uma emissora controlada pela prefeita Rosalba Ciarlini, na edição de hoje, na tentativa de justificar mais uma maldade da chefe do Executivo local. Foi grande a pirotecnia dos apresentadores querendo convencer os ouvintes de que a proposta da prefeita de acabar com o desconto em folha da mensalidade sindical é boa.

Com mentiras e falta de conhecimento sobre o assunto, tentaram desmerecer a luta sindical e enaltecer como grande feito mais um ato arbitrário da prefeita. Sequer se dignaram a dizer que o que a prefeita quer é enfraquecer o Sindicato dos Servidores Públicos de Mossoró (SINDISERPUM), postura típica de gestores autoritários.

Ao opinar sobre qualquer tema, o mínimo que se espera é que quem esteja fazendo o comentário apresente vantagens e desvantagens sobre a questão posta para, a partir daí, o ouvinte construa sua opinião a respeito.
Quem deliberadamente apresente como bom algo que a maioria entende como ruim, com ares de imparcialidade e isenção, e ainda tem esperança de que seus ouvintes comprem essa ideia, está no mínimo pensando que quem os ouve é bobo.

De volta ao ninho
Quando o ex-prefeito Francisco José da Silveira Júnior começou a receber as primeiras críticas à sua gestão, uma das análises que se fazia era de que em sua administração havia rosalbistas demais. Silveira deu pouca atenção e o seu governo todos sabem como terminou. Uma de suas auxiliares de primeiro escalão era Fernanda Kaline, convidada para assumir a chefia de gabinete da prefeitura na atual gestão de Rosalba Ciarlini. Um cargo de confiança, tanta confiança que chegou a ser exercida pelo filho da prefeita.

Flávio não quer
O senador Flávio Bolsonaro (PSL) eleito, juntamente com o pai, presidente Bolsonaro, com discurso de moralidade, de combate à corrupção e defesa de pena de morte para bandidos, vem, tentando de todo jeito escapar de investigações sobre milionárias movimentações suspeitas feitas por ele. Flávio realiza transações imobiliárias que o Ministério Público entende como ações para lavar dinheiro. Pela terceira vez, o senador aciona a Justiça para impedir que as investigações avancem.

Mensalinho em Itaú
Circulam nas redes sociais áudios de uma sessão da Câmara Municipal de Itaú no qual um vereador acusa colegas de participarem de um mensalinho. Um dos acusados se defende afirmando que não é mensalinho, mas uma ajuda de R$ 250,00 por mês dada a alguns edis pelo presidente da Casa. Merece investigação séria.

Manifesto na rua
Moradores do conjunto Odete Rosado fizeram um protesto na noite de hoje próximo à UERN denunciando a falta de iluminação no acesso ao lugar onde moram.

Greve da educação
Sindicatos e movimentos sociais voltam às ruas nesta quinta-feira, 30/5, em protesto contra o corte de verbas na educação. Além de repudiar a perseguição que o presidente Bolsonaro tem feito à educação, os atos são uma prévia para a greve geral programada para 14 de junho.

Soltura suspeita
Um dia após ter sido anunciado que a ex-chefe de Gabinete da presidência da Assembleia Legislativa, Ana Augusta Simas Carvalho, teria mando recado para poderosos do Rio Grande do Norte de que já estava presa há tempo demais, a ministra Laurita Vaz, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), determinou a sua soltura. Ana Augusta Simas é acusada de comandar esquema fraudulento na Assembleia Legislativa potiguar.

 

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...