Mossoró

Terceirizada da prefeitura deixa 200 trabalhadores sem salários

Funcionários que atuam em UBS´s e UPA´s ainda não receberam o mês de julho

A Athos, empresa terceirizada da prefeitura de Mossoró ainda não pagou os salários dos seus funcionários que atuam nas unidades de saúde locais.

O mês de agosto já está próximo do fim e os trabalhadores não receberam sequer o mês de julho. “Ficar sem salários já é um grande problema. No meio de uma pandemia é ainda mais angustiante”, relata um dos trabalhadores atingidos pela falta de respeito da empresa.

O Sindicato dos Empregados em Asseio, Conservação e Limpeza Urbana (SINDLIMP) denuncia que os funcionários da saúde tem sido alvo de medidas de restrição de direitos por parte da Athos e da prefeitura de Mossoró. Ano passado, por exemplo, foi cortado o adicional de insalubridade dos funcionários terceirizados da saúde.

São várias categorias que prestam serviços em Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Pronto Atendimento (UPA), desde digitadores, auxiliares de serviços gerais e motoristas. Os salários médios são de R 1.300,00.

De acordo com informações colhidas pelo Portal do RN, a Athos está prestando serviços ao município na área de saúde sem contrato, vencido há um mês e que até agora não foi renovado.

Contactamos a prefeitura de Mossoró, via Secretaria Municipal de Comunicação Social (Secom) sobre os problemas, mas até o fechamento desta matéria, 11h35, não havíamos recebido retorno.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...