Retaliação

Rosalba quer proibir desconto de mensalidade sindical na folha salarial

Prefeita quer acabar contribuições consignadas dos servidores ao SINDISERPUM

A prefeita Rosalba Ciarlini segue na sua tentativa de enfraquecer o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDISERPUM). A gestora segue incomodada com o poder de articulação e de liderança dos dirigentes da entidade e com a importância que os servidores dispensam ao sindicato.

Para tentar desestabilizar o SINDISERPUM, a prefeita enviou projeto de lei à Câmara Municipal acabando com as contribuições consignadas dos servidores ao sindicato. O objetivo é asfixiar financeiramente a entidade, a exemplo do que vem fazendo o presidente extremista Bolsonaro com entidades que lhes fazem oposição.

A medida proposta por Rosalba Ciarlini atinge principalmente os trabalhadores que verão sua entidade representativa enfraquecida. Mas prejudica também os servidores e seus familiares no aspecto social.

O SINDISERPUM teve, por exemplo, que suspender o convênio de saúde que mantinham com clínicas médicas da cidade. A prefeita vai deixar milhares de servidores, inclusive aposentados, sem atendimento médico, sem dezenas de exames, sem tratamento dentário, sem luta em defesa dos seus direitos. “Tudo isso por perseguição ao SINDISERPUM. Isso é uma verdadeira tirania”, classifica a presidente do sindicato, Marleide Cunha.

A perseguição de Rosalba Ciarlini ao sindicato é oriunda da postura combativa da entidade, sobretudo na recente greve dos professores da rede municipal de ensino. Os trabalhadores se articulam para tentar barrar o projeto no Legislativo.

Notícias semelhantes