Dia do Professor

Ronaldo Garcia critica ascensão do fascismo nas escolas e promete educação libertadora

Professor universitário há 26 anos, professor Ronaldo afirma que golpes nas IFES o motivaram a se candidatar

Único professor a disputar a Prefeitura de Mossoró, Ronaldo Garcia, do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) se manifestou, no Dia do Professor, em favor de uma educação libertadora, tanto em suas redes sociais, como nas interações com possíveis eleitores. Ronaldo Garcia é professor há 26 anos, sendo 12 deles dedicados a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) e 14 na Universidade Federal do Semiárido (UFERSA).

Dentre o trajeto percorrido nesta quinta-feira, 15/10, Ronaldo Garcia esteve com a candidata à vice-prefeita Yasmin Dias em frente ao Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), onde lamentou a recente intervenção sofrida pela instituição, já que o atual reitor nem sequer participou do último pleito eleitoral.

Ronaldo é filiado ao PSOL há 13 anos, nunca foi eleito em um cargo eletivo, e há seis não se lançava candidato a qualquer cargo. Entretanto, afirma que as intervenções sofridas nas instituições federais de ensino superior, em que não se respeitou a democracia interna, o fizeram lançar-se candidato a Prefeito, para defender a democracia nas escolas municipais de Mossoró.

“Os ataques democráticos que a UFERSA e o IFRN sofreram com a ascensão do fascismo me fizeram sentir a necessidade de me candidatar em 2020, depois de seis anos sem lançar meu nome a qualquer pleito, por estar desiludido com a forma de se fazer política eleitoral. Estamos em uma candidatura que pretende democratizar as escolas. Atualmente as escolas municipais já funcionam com aparelhamento do Executivo Municipal, já que os diretores são indicados pelos prefeitos e nenhum prefeito mudou isso. Queremos fortalecer os grêmios estudantis, para que os alunos tenham poder de decisão sobre a gestão escolar desde a primeira série e teremos uma ouvidoria municipal especializada nessa demanda dos estudantes. Assim, teremos uma gestão horizontal, em que todas as vozes serão ouvidas. Estudantes, professores, pais e comunidade. O diretor terá função de promover a democracia e não apenas de transmitir ordens”, declarou Ronaldo Garcia.

Professor Ronaldo Garcia possui mestrado e doutorado na Universidade de São Paulo (USP), a principal instituição de ensino do Brasil e pós-doutorado na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Ele possui vários artigos e livros de repercussão internacional na área da matemática e o seu último livro, “The Numbers and The Functions Generalized of Colombieu: Algebra, Topology and Analysys” foi todo escrito em inglês, devido ao impacto do seu conteúdo no exterior. De acordo com o professor Ronaldo, profissionais como ele são tidos como “inúteis”, devido a ascensão do bolsonarismo, o sucateamento das escolas e a desvalorização do educador.
“Existem pessoas irresponsáveis assumindo posições importantes dizendo que ser professor é quase que uma declaração de não saber fazer outra coisa. Eu gostaria de dizer a esses fascistas, a essas pessoas que se dizem religiosas, que a educação sem o professor não existe e que o professor não é aquele que não sabe fazer mais nada. Pelo contrário, o professor é aquele que educa. O professor é aquele que transforma. O professor é aquele que acredita que pensar não é crime. O professor é aquele que dá sentido a vida”, ressaltou Ronaldo Garcia.

Dentre as propostas de professor Ronaldo Garcia, está a criação de 10 escolas de tempo integral, para que os alunos possam se dedicar a arte e ao esporte em paralelo com a educação formal, tendo uma alimentação de qualidade e um acompanhamento psicológico e nutricional.

De acordo com Ronaldo Garcia, esse trabalho será inspirado nos ensinamentos do educador Paulo Freire, que se tornou exemplo no mundo inteiro e iniciou o modelo de educação libertadora em Angicos (RN), adaptando o conhecimento a realidade de pessoas idosas, para conseguir alfabetizá-las.
“Não existe nenhuma nação que possa viver sem um professor. Não existe nenhuma nação que possa viver sem os ensinamentos de um mestre. Paulo Freire é um exemplo de um mestre aclamado por todo o mundo. Paulo Freire é teoria da libertação. Educação libertadora. Professor é tudo. Vamos estabelecer o modelo de ensino paulo-freiriano, em que alguns conteúdos são adaptados a realidade de cada aluno. Assim, eles poderão compreender sobre matemática, português ou história, através de exemplos que fazem parte do seu cotidiano, como futebol, poesia ou o jogo virtual preferido deles”, finalizou o candidato.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...