Pandemia

RN poderá ter mais de 130 mortes diárias por Covid

Epidemiologista alerta que estamos às vésperas de uma tragédia ainda maior

O Rio Grande do Norte viverá um cenário de pandemia ainda mais difícil no mês de abril. O alerta foi feito hoje pelo médico epidemiologista Ion de Andrade durante entrevista à TV Cabugi na manhã desta sexta-feira (26). Para o especialista, com a taxa de surgimento de novos casos crescendo diariamente, também aumenta a procura por leitos de hospitais e também a taxa de óbitos.

Segundo o epidemiologista, considerando-se as projeções da plataforma GeoCovid, caso a população não aderia aos decretos de restrições sociais estabelecidos pelo Governo do Estado e prefeituras, em abril o Rio Grande do Norte poderá ter média diária de 136 mortes por Covid.

Atualmente, a média de óbitos é de 50. O Estado tinha 4.209 mortes por Covid na terça-feira, 23/3 e ontem chegou a 4.309, nada menos que 100 novos óbitos registrados em 48 horas.

“É preciso adesão ao decreto, respeito ao uso de máscara, distanciamento entre as pessoas. Responsabilidade não pode deixar de ser das pessoas e das famílias”, reafirmou Ion de Andrade, acrescentando que nesse momento da pandemia só há duas variantes positivas: as pessoas e a vacina.

Ion de Andrade analisou que a situação atual da pandemia se refere às contaminações de 15 dias atrás. “O cenário dos próximos dias será o resultado das infecções atuais. Ontem, em todo o país, tivemos quase 100 mil novos casos. Isso significa dizer que temos pelo menos 350 mil novas infecções, porque tem muito assintomático e pessoas com sintomas leves que não foram testadas e que também está com a doença”, analisou.

Ainda de acordo com Ion de Andrade, “estamos às vésperas de uma tragédia maior”. Para evitar que essas previsões catastróficas se concretizem, é necessário que haja verdadeiro engajamento popular no atendimento às orientações dos decretos de restrições.

O epidemiologista lembrou que as contaminações, internações e mortes por Covid já apresentaram percentual de queda entre os grupos que já foram vacinados, como profissionais de saúde e idosos entre 80 e 90 anos. “Precisamos nos proteger, mas precisamos proteger especialmente as pessoas da faixa etária dos 50 a 79 anos. Precisamos ter uma consciência muito forte de que são pessoas ativas e é crucial para que essas pessoas possam estar protegidas”, frisou.

O Rio Grande do Norte registrou ontem 476 novos casos, sendo a 25% unidade da federação com mais casos. Pelas projeções da Geocovid, amanhã o Brasil deverá registrar 82.269 casos confirmados, dos quais 269 em solo potiguar.

Notícias semelhantes
Comentários
Loading...