Clima tenso

Porta-aviões americano rumo à península da Coreia poderá fazer manobra sem precedentes

A ida do porta-aviões para junto da costa da península da Coreia pode fazer com que as autoridades norte-coreanas reajam de forma imprudente.

No âmbito do novo conceito operacional de implementação das forças navais americanas no oceano Pacífico, o porta-aviões USS Carl Vinson poderá realizar uma manobra sem precedentes, informa a edição Defense News citando fontes militares.

Anteriormente foi informado que o grupo aeronaval da Marinha norte-americana chefiado pelo porta-aviões USS Carl Vinson se dirigirá à parte ocidental do oceano Pacífico para garantir a presença norte-americana perto da península da Coreia.

A Marinha dos EUA divide o oceano Pacífico em duas zonas de responsabilidade: a Sétima Frota dos Estados Unidos se baseia no Japão e responde pela parte ocidental, tomando em conta a situação na região esta frota passa pelos treinamentos mais intensos; as forças da Terceira Frota, que se baseia na Califórnia, são de vez em quando enviadas para o Pacífico ocidental para apoiar operações da Sétima Frota, passando a atuar sob seu comando.

Segundo as informações da Defense News, que cita representantes do comando da Frota do Pacífico, pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial, a Terceira Frota, que se baseia em San Diego, manterá o comando do grupo aeronaval quando ele estiver a oeste da Linha de Data (atravessando esta linha, o USS Carl Vinson entra na zona de responsabilidade da Sétima Frota).

Mais cedo, o NBC Sandiego comunicou que a tripulação do porta-aviões passou por preparativos intensos, cujos detalhes não foram especificados.

Viktor Ozerov, chefe do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação (câmara alta da Assembleia Federal russa) tinha advertido que o envio do grupo aeronaval para junto da costa da península da Coreia pode fazer com que as autoridades norte-coreanas reajam de forma imprudente.

 

Notícias semelhantes